Tamanho do texto

Kimlan entrou na faculdade por incentivo da filha, que fazia o mesmo curso; a menina morreu durante a graduação, mas a idosa não desistiu do seu diploma

Kimlan estudava com sua filha, que faleceu durante o curso; idosa recebeu diploma das mãos do rei da Tailândia
Reprodução/Facebook
Kimlan estudava com sua filha, que faleceu durante o curso; idosa recebeu diploma das mãos do rei da Tailândia

Uma mulher de 91 anos conseguiu se graduar em uma universidade pública na Tailândia e receber o seu diploma das mãos do rei Maha Vajiralongkorn – como manda a tradição no país – nesta quarta-feira (9).

Leia também: Conheça Piaget, biólogo que revolucionou a pedagogia e inspirou o construtivismo

O diploma de bacharel em desenvolvimento humano e familiar na Universidade Aberta Sukhothai Thammathirat, localizada próxima a Bangcoc, foi entregue a Kimlan Jinakul depois de mais de 10 anos de estudo. 

Isso porque Kimlan começou a estudar aos 72 anos, mas só de formou 19 anos depois, aos 91. "Se a gente não estudar, ler, buscar conhecimento, não seremos capazes de falar e fazer sentido", disse Kimlan ao receber o diploma. 

Em entrevista à BBC , a tailandesa afirmou que sempre quis ir para a universidade, mas, quando era mais nova, nunca teve oportunidade. No entanto, foi uma das filhas que a incentivou a estudar, na época, com 72 anos. Kimlan e sua filha iniciaram o curso juntas. Contudo, a menina faleceu no meio do processo, o que fez a idosa desistir – pelo menos, temporariamente.

"Depois de me recuperar da perda e da tristeza, eu me incentivei a terminar esse curso. Eu espero que a alma da minha filha esteja feliz em ver isso", disse ela, ressaltando que "nunca é muito tarde" para realizar os objetivos.

E não foi só a idade um obstáculo para Kimlan. Para receber seu diploma, a idosa precisou viajar com sua família cerca de 725 quilômetros de distância da capital.

Leia também: Quer concluir o ensino médio? Inscrições para Encceja 2017 abrem hoje

"Em alguns momentos, ela se sentiu envergonhada por causa de sua idade. Mas nós, como filhos, tentamos animá-la e nossa mãe estudou até o fim. Foi um sucesso", disse Mongol Jinakul, filho de Kimlan.

Tradição na Tailândia

"Eu estou muito feliz e honrada de que o rei, graciosamente, tenha mostrado compaixão sem limite", disse a mulher mostrando seu respeito pela realeza.

Na Tailândia é tradição que todo o diploma das universidades públicas seja entregue aos graduandos por membros da família real. A Universidade Aberta Sukhothai Thammathirat é conhecida por oferecer graduações para pessoas idosas e, só neste ano, teve 199 alunos com mais de 60 anos de idade matriculados em cursos à distância.

Leia também: Bomba da Segunda Guerra é encontrada perto da central nuclear de Fukushima

* Com informações da Agência Ansa. 

    Notícias Recomendadas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.