Tamanho do texto

O secretário de Estado afirmou que a Coreia do Norte poderá entrar na lista dos países com restrição geográfica de viagem ainda em agosto; entenda

Outros três norte-americanos continuam detidos na Coreia do Norte; país pode ser proibido aos turistas dos EUA
KCNA/Divulgação
Outros três norte-americanos continuam detidos na Coreia do Norte; país pode ser proibido aos turistas dos EUA

O Secretário de Estado dos Estados Unidos , Rex Tillerson, autorizou nesta sexta-feira (21) que seja imposta uma proibição oficial de que os norte-americanos viajem para a Coreia do Norte. Ao entrar para a lista dos países não permitidos, a partir de agosto deste ano, o passaporte dos EUA será considerado inválido no país ou em viagens através dele. As informações são do jornal britânico "The Guardian". 

Leia também: Porta-voz de Donald Trump pede demissão após seis meses no cargo

A proibição acontece depois da morte do cidadão norte-americano Otto Warmbier, que foi detido pelas autoridades da Coreia do Norte no ano passado, sendo sentenciado a 15 anos de trabalho pesado, acusado de ter roubado um pôster no hotel onde estaria hospedado. Warmbier retornou aos Estados Unidos em coma no mês passado, mas acabou morrendo dias depois.

A porta-voz do departamento de estado, Heather Nauret, afirmou que Tillerson autorizou a proibição “devido às preocupações crescentes pelo sério risco de prisão e detenção de longo prazo sob o sistema de aplicação da lei” do país asiático.

O departamento estadual confirmou que o Secretário autorizou a proibição, conhecida como restrição geográfica de viagem ( GTR , em inglês), depois que duas empresas de turismo, com sede em Pequim, disseram já terem sido avisadas sobre a restrição.

Leia também: Protestos na Venezuela acumulam mais de 100 mortos em quatro meses

Centenas de americanos viajam ao país norte-coreano todos os anos, mas só podem fazer turismo em grupos organizados e autorizados previamente. Porém, com a aplicação do GTR, mesmo esse tipo de viagem passará a ser considerada ilegal.

Tal proibição tem sido usada pelos Estados Unidos nos últimos 50 anos, proibindo as viagens para países como Irã, Líbano, Iraque, Cuba e Líbia. Uma vez que ela começa a valer, os passaportes norte-americanos serão inválidos para viagens para e através do país asiático.

Em maio, o congressista democrata Adam Schiff e seu colega republicano Joe Wilson apresentaram uma proibição semelhante na Câmara dos Deputados. Assim, o projeto de lei deve ser discutido em comissão ainda neste mês.

Schiff disse que ficou satisfeito ao ver o departamento de Estado introduzir as restrições. “Após o horrível tratamento de Otto Warmbier , além dos últimos americanos detidos pelo regime, a limitação da viagem, infelizmente, se faz sensata e necessária”, defendeu em um comunicado.

Entenda o caso de Warmbier

A morte do estudante norte-americano é um mistério. O que se sabe é que era um estudante da Universidade da Virgínia quando foi detido, em janeiro de 2016. Ele se inscreveu para uma viagem ao país de Kim Jong-un com a empresa "Young Pioneer Tours", em uma breve estadia seguida de uma visita a Pequim.  Mas, quando tentou se afastar do aeroporto de Pyongyang, ele foi parado pela segurança.

De acordo com o governo norte-coreano, Warmbier foi detido porque teria roubado um cartaz político de um andar restrito do hotel onde havia se hospedado.

Leia também: Terremoto mata dois turistas na Grécia e causa destruição na Turquia

Outros três norte-americanos continuam detidos na Coreia do Norte: Tony Kim e Kim Hak Song foram presos nos últimos meses, acusados de cometerem “atos hostis”. Já Kim Dong Chul está preso desde 2015.