Tamanho do texto

Em discurso na manhã deste sábado (8), a chanceler alemã lembrou a saída dos EUA do Acordo de Paris e lamentou postura de Donald Trump; entenda

Reunião do G20 termina com isolamento dos EUA quanto as questões climáticas
Beto Barata/ PR
Reunião do G20 termina com isolamento dos EUA quanto as questões climáticas


Foi confirmado pela chanceler alemã Angela Merkel o isolamento dos EUA no comunicado a ser divulgado após a reunião entre as 20 maiores economias do Mundo, o G20, no que se refere aos acordo de cooperação climática entre os países.

Leia também: Trump e Putin fecham acordo de cessar-fogo no sudoeste da Síria

Em longo discurso na manhã deste sábado (8), Merkel lamentou a posição do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, em relação a sua postura contrária as mudanças climáticas e a saída do mesmo do Acordo de Paris. Segundo a chancelar, a decisão de Trump fez com que o isolamento dos EUA fosse necessário no comunicado final sobre o encontro entre os líderes.

"Sobre o clima, nós sabemos que quando não há o consenso, precisamos fazer o dissenso no comunicado. Infelizmente, os Estados Unidos disseram que pretendem deixar o Acordo de Paris, mas fiquei feliz que todos os outros membros concordam que não se pode dar um passo para trás sobre o tema", disse a chanceler.

Segundo Merkel,  não existe um otimismo para que Washington reveja sua posição e volte ao Acordo de Paris , hoje composto por 194 países. "Não estou otimista". Fontes europeias e com acesso ao comunicado do G20 , também confirmara que o documento final mostrará esse isolamento norte-americano na questão, com todos os outros 19 membros classificando o Acordo de Paris como "irreversível e inegociável".

Em trecho relacionado aos Estados Unidos , foi escrito no comunicado que o país "se empenhará a trabalhar em contato próximo com outros países para ajudá-los a diminuir o uso de combustíveis fósseis de maneira mais limpa e eficiente".

Leia também: Trump elogiou a economia do Brasil, comemora Temer no Twitter

Protecionismo

Ainda durante o seu discurso, em Hamburgo, na Alemanha nesta sábado (8), a chanceler – se opondo as políticas do presidente norte-americano – enfatizou que os demais líderes são contrários a quaisquer formas de protecionismo e salientou estar “satisfeita” pelos demais países que também criticam e combatem a pratica.

Em seu mandado, Donald Trump faz questão de ser transparente quando a sua política protecionista e com intenção de fortalecer apenas o mercado interno dos EUA. A saída do país do Acordo de País comprova essa prática.

As constantes medidas adotadas por Donald Trump colaboraram para o isolamento dos EUA nas questões climáticas o que tonar a relação do país com as demais potencias econômicas, cada vez mais complexas.

*Com informações da Ansa

Leia também: De Trump a Widodo: você sabe quem é quem no G20?

    Notícias Recomendadas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.