Tamanho do texto

De acordo com o OSDH, bombardeios causaram a morte de 42 presos comuns e 15 guardas e prisioneiros da organização não-governamental

Ataques causaram a morte de 42 presos comuns na prisão do Estado Islâmico e 15 guardas e prisioneiros da organização
UNRWA/ Fotos Públicas - 30/01/2014
Ataques causaram a morte de 42 presos comuns na prisão do Estado Islâmico e 15 guardas e prisioneiros da organização

Devido a um bombardeio contra um centro de detenção do grupo terrorista Estado Islâmico, em Mayadin, no nordeste da Síria , pelo menos 57 pessoas foram mortas, nesta segunda-feira (26). 

Leia também: Veja tudo sobre o Estado Islâmico no iG

As informações são da organização não-governamental (ONG) Observatório Sírio de Direitos Humanos (OSDH), que suspeita que tal ataque tenha sido executado pela coalizão internacional liderada pelos Estados Unidos para agir contra o Estado Islâmico .

Ainda segundo a OSDH, os ataques aéreos causaram a morte de 42 presos comuns e 15 guardas e prisioneiros da organização. A OSDH não descartou um aumento desses números, porque há desaparecidos entre os escombros em Mayadin.

As informações sobre o ataque, no entanto, estão desencontradas. O DeirEzZor24 , uma plataforma independente de notícias que atua dentro da Síria, já afirmou em seu site que o número de mortos pode superar os 60.

Segundo o observatório, o local abrigava 100 detentos, entre civis e membros do próprio grupo terrorista. Antes de ser uma prisão, o espaço era a casa do dirigente da ex-filial síria da Al Qaeda, Abu Abdulla Al Nuaimi, assassinado pelo grupo, que transformou o imóvel.

Na última sexta-feira (23), a Rússia divulgou vídeos de ataques a mísseis  feitos sobre centros de comando e depósito de armas do grupo terrorista na Síria. 

"Como resultado do grande ataque de mísseis, vários centros de comando foram destruídos, assim como importantes depósitos de armas e munições dos terroristas na região de Aqirbat, na província de Hama", afirma um comunicado divulgado pelo Ministério da Defesa da Rússia, na semana passada.

Ainda outro ataque

A ONG acrescentou que, após esse ataque, aviões que provavelmente eram da coalizão voltaram a atacar Mayadin na última madrugada e tiveram como alvo uma base da Brigada dos Falcões do Deserto, vinculada ao grupo terrorista. Nesse ataque, morreu uma mulher que morava vizinha ao quartel, esvaziado pelos extremistas após o ataque à prisão.

O DeirEzZor24  informou que a prisão fica nos arredores de Al Tiba, perto de Mayadin. Mayadin fica na parte leste de Deir ez-Zor, quase totalmente dominada pelo grupo Estado Islâmico.

Leia também: MPF faz nova denúncia da Operação Hashtag contra acusados de planejar terrorismo

* Com informações da Agência Brasil.

    Leia tudo sobre: estado islâmico
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.