Tamanho do texto

Estratégia visa manter o suprimento de leite no país, que enfrenta crise após países árabes romperem relações diplomáticas com o governo catariano

Empresário diz que seriam necessários 60 voos para entregar o gado no Catar, comprado na Austrália e EUA
Pixabay
Empresário diz que seriam necessários 60 voos para entregar o gado no Catar, comprado na Austrália e EUA

Um empresário do Catar está planejando transportar quatro mil vacas leiteiras para o país como parte dos esforços para manter o suprimento de leite,  durante o bloqueio diplomático estabelecido pelos vizinhos árabes . As informações são do jornal “The Guardian”.

A proposta – tida como a maior tentativa de transporte aéreo de gado da história – surge em meio às tentativas do Catar de abrir uma ponte aérea e marítima através do Irã, Turquia e instalações portuárias em Omã.

O plano de transportar as vacas em aviões foi divulgado por Moutaz Al Khayyat, presidente da Power International Holding, na agência de notícias "Bloomberg". Khayyat disse que seriam necessários até 60 voos para entregar o gado, que foi comprado na Austrália e nos Estados Unidos. O empresário originalmente planejava importar as vacas por navio e levá-las para uma instalação de lácteos recentemente concluída perto de Doha, capital do país.

Cortando relações

A Arábia Saudita, Bahrein, Líbia, Iêmen, Egito e os Emirados Árabes Unidos reduziram os laços diplomáticos e econômicos com o Catar, anunciando o fechamento de fronteiras terrestres e aéreas no último dia 5, acusando o governo de Doha de apoiar grupos extremistas.

Leia também: "Viagem está dando frutos", diz Trump sobre represália feita por países árabes

Empresário quer garantir leite ao país com vacas leiteiras importadas dos EUA e da Austrália
Reprodução/Pixabay
Empresário quer garantir leite ao país com vacas leiteiras importadas dos EUA e da Austrália

O Cairo, capital do Egito, acusa o país de "apoiar as operações terroristas no Sinai e de intervir nos assuntos internos do Egito e dos países da região, de modo a ameaçar a segurança nacional árabe e favorecer as diferenças dentro das sociedades árabes".

Até então, o país importava a maioria dos seus produtos lácteos de países vizinhos. A Arábia Saudita, por exemplo, fechou a única fronteira terrestre da península do país, ameaçando a importação de alimentos frescos e matérias-primas necessárias para completar o projeto de infraestrutura de US 200 bilhões para a Copa do Mundo de futebol de 2022.

Contornando a situação

Apesar das acusações de apoio ao terrorismo, alguns países afirmaram que continuarão apoiando o governo de Doha. A Turquia e o Irã, por exemplo, estão negociando o envio de alimentos para abastecer o país e atenuar a crise.

Leia também: Campo de refugiados no Iraque recebe comida contaminada e 800 recebem tratamento

Na segunda-feira (12), o Catar anunciou a abertura de duas rotas marítimas com Omã As duas rotas anunciadas pela autoridade portuária unirão o porto de Hamad, em Doha, aos portos de Sohar e Salalah, em Omã.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.