Tamanho do texto

Entretanto, agremiação da primeira-ministra Theresa May não deverá contar com maioria no Parlamento; resultado deverá ser divulgado na sexta-feira

Primeira-ministra Theresa May deverá manter poder no Reino Unido, mas sem maioria no Parlamento
Reprodução/Twitter
Primeira-ministra Theresa May deverá manter poder no Reino Unido, mas sem maioria no Parlamento

Após o encerramento da votação no Reino Unido, pesquisas de boca de urna preveem vitória para o Partido Conservador, da primeira-ministra Theresa May, com 314 deputados eleitos. O desempenho, entretanto, não dá aos conservadores maioria no Parlamento e forçaria a formação de um governo de coalizão. O Partido Trabalhista aparece como o segundo maior, com 266 assentos.

Leia também: Após atentados terroristas, Reino Unido vai às urnas pelas eleições gerais

Se o resultado das pesquisas se confirmar, frustrará as intenções de May, que antecipou as eleições gerais buscando conseguir mais apoio no governo para conduzir as negociações do Brexit, o polêmico processo de saída do Reino Unido da União Europeia.

Na composição do Parlamento ainda em vigor, o Partido Conservador detém 51% dos assentos. A contagem dos votos da eleição seguirá noite adentro e o resultado oficial deve ser anunciado somente na sexta-feira (9).

Leia também: Coreia do Norte surpreende e apresenta mísseis de alcance intercontinental

O pleito realizado nesta quinta-feira definirá a composição do novo Parlamento e também se a primeira-ministra Theresa May se manterá no poder. Seu principal adversário é o Partido Trabalhista, liderado por Jeremy Corbyn, que integra a ala mais à esquerda da legenda. De um lado, May é vista como mais firme e confiável diante de assuntos como terrorismo e migração; de outro, representa uma ameaça para políticas de atenção social.

Jeremy Corbyn, por sua vez, conseguiu reunir bastante apoio popular, principalmente dos eleitores mais jovens, com promessas que incluem cobrar mais impostos da população mais rica e abolir as altas taxas das universidades do país. Entretanto, ele também sofreu forte rejeição dos que acham sua visão política muito extrema e seu pulso fraco para lidar com a ameaça terrorista.

Analistas políticos avaliam que o atentado ocorrido na Inglaterra no último sábado influenciou o cenário político às vésperas da eleição.  O grupo terrorista Estado Eslâmico reivindicou a autoria dos ataques.

Locais inusitados

Lugares inusitados foram preparados para receber os eleitores nesta quinta-feira, entre eles um antigo moinho de vento e até um pub, tradicional bar do Reino Unido. A presença policial foi reforçada nos postos de votação, após os recentes ataques terroristas. E a segurança interna foi um importante foco dessa eleição geral. Muçulmanos que moram em Londres disseram que a questão foi prioridade.


* Com informações da Agência Brasil

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.