Tamanho do texto

Em ambos os países, manifestantes entraram em confrontos com a polícia; enfrentamentos tiveram coquetéis molotov, pedras e gás lacrimogêneo

manifestações na França acontecem com a intenção de bloquear candidata de extrema-direita, Marine Le Pen
Reprodução/Twitter
manifestações na França acontecem com a intenção de bloquear candidata de extrema-direita, Marine Le Pen

O Dia do Trabalho foi marcado por confrontos entre manifestantes e policiais na França e na Itália. No país francês, de acordo com a "BFMTV", emissora de televisão local, pessoas mascaradas se juntaram a um protesto de 1º de maio e arremessaram coquetéis molotov contra as autoridades, que revidaram usando gás lacrimogêneo. O confronto deixou três policiais feridos.

Leia também: Temer diz que direitos trabalhistas estão assegurados com reformas

As manifestações na França acontecem com a intenção de bloquear a candidata de extrema-direita, Marine Le Pen. Ela concorre contra Emmanuel Macron, de posicionamento centrista. As eleições estão marcadas para o próximo dia 7. 

Apesar de se posicionarem contra Le Pen, os sindicatos franceses não chegaram a um consenso em relação aos apoios. A Confederação Francesa Democrática do Trabalho (CFDT) e o UNSA foram os únicos que pediram votos para Macron, enquanto Solidaires, CGT e FSU simplesmente pediram bloqueio à candidatura de Le Pen, mas sem fazer menção ao centrista. A Força Operária (FO), por sua vez, preferiu manter independência e não dar qualquer tipo de apoio.

Muitos manifestantes atenderam ao pedido de organizações anarquistas se reuniram em Paris nesta segunda-feira para lutar contra o capitalismo e o fascismo. Além disso, também foi organizada uma "marcha negra" contra a extrema direita. 

Leia também: Mais de 70% dos brasileiros são contra a reforma da Previdência, diz Datafolha

Itália

No caso da Itália, o confronto entre manifestantes e policiais aconteceu durante uma passeata organizada por manifestantes, também motivada pelo dia 1º de maio. A situação foi registrada na cidade de Turim.

O confronto teve início quando a polícia decidiu tentar impedir que um grupo de cerca de 200 manifestantes de chegasse à Praça Castello, onde ocorria um ato organizado por diferentes sindicatos devido ao Dia do Trabalho.

Leia também: China pode ter invadido e-mails de democratas durante eleição, diz Trump

Cerca de 20 manifestantes começaram a lançar pedras e ovos contra os agentes, que responderam com bombas de efeito moral e balas de borracha, informou o jornal La Stampa. A mesma fonte informa que três manifestantes foram detidos.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.