Tamanho do texto

Em vídeo, Francisco disse que espera que sua visita ao Egito seja "um abraço de consolo e de encorajamento para todos os cristãos no Oriente Médio"

Em sua visita ao Egito, o papa Francisco não usará carros blindados, apesar dos riscos de atentados do Estado Islâmico
Instagram / Papa Francisco
Em sua visita ao Egito, o papa Francisco não usará carros blindados, apesar dos riscos de atentados do Estado Islâmico

Um atentado terrorista do grupo extremista Estado Islâmico ocorreu nesta terça-feira (25) na Península do Sinai, no Egito, deixando pelo menos quatro membros de uma tribo local mortos e outros feridos, segundo autoridades do país.

Leia também: Veja tudo sobre o Estado Islâmico no iG

O ataque do Estado Islâmico acontece a poucos dias da visita do papa Francisco ao Cairo nesta semana. O líder da igreja católica passará pela capital do Egito nos dias 28 e 29 de abril. 

Em um vídeo divulgado pelo Vaticano, o papa disse que espera que sua visita ao Egito seja "um abraço de consolo e de encorajamento para todos os cristãos no Oriente Médio". Isso porque, no Domingo de Ramos, dois bombardeios em igrejas cristãs mataram 44 pessoas no país.

Sem carros blindados

Em sua visita, o papa não usará carros blindados, apesar dos riscos de atentados terroristas.

Negando que o Vaticano esteja preocupado com qualquer risco à segurança de Francisco, o diretos da Sala de Imprensa da Santa Sé, Greg Burke, comentou que "vivemos em um mundo onde este aspecto [de atentados] faz parte da vida". "Vamos seguir serenamente, como é a vontade do Santo Padre", acrescentou.

Leia também: Estado Islâmico mostra criança de seis anos ajudando numa decapitação; assista

Ainda de acordo com Burke, "a segurança é um problema também na Itália ou na Inglaterra, na França, nos Estados Unidos". "O papa, mesmo após os atentados recentes no Egito, confirmou sua vontade de visitar o país como sinal de proximidade. Não estamos preocupados", garantiu.

O papa costuma usar o papamóvel aberto em suas viagens apostólicas. Desta vez, no entanto, optará por veículos fechados, mesmo que sem blindagem especial.

Apesar de ter lamentado o atentado do Estado Islâmico ocorrido no Domingo de Ramos, o papa Francisco não cogitou o cancelamento de sua viagem ao país. Após o ataque desta terça-feira, porém, ele ainda não se pronunciou a respeito de alterações de agenda, rota ou veículo. O Vaticano descarta a possibilidade de alterações tão próximas ao evento. 

Leia também: O menino que sofreu nas mãos do Estado Islâmico só por se chamar Messi

* Com informações da Agência Ansa.

    Leia tudo sobre: estado islâmico