undefined
Reprodução/Youtube
Trump aparece em dois minutos do filme e flerta descaradamente com a personagem principal em cena de negociação

Muitos anos antes de se tornar presidente dos Estados Unidos, Donald Trump fez alguns "bicos" como ator. Uma das aparições mais conhecidas do republicano no cinema é em uma cena do filme "Esqueceram de Mim 2", em 1992. No entanto, antes disso, em 1989, ele participou de um filme ainda mais peculiar.

Leia também: Trump vai enviar ao Congresso proposta de reforma tributária nos Estados Unidos

“Os Fantasmas Não Transam” é uma trama que mistura o sobrenatural com cenas de sexo e violência. Pode ter certeza: é tão ruim quanto parece ser.  O longa foi escrito por John Derek para estrelar sua esposa e símbolo sexual, Bo Derek. Como Trump entra na história? Interpretando ninguém menos que ele mesmo.

Enredo

O marido da personagem de Bo Derek está morto. Depois de ter um ataque cardíaco, ele não podia mais transar com sua esposa e, por isso, cometeu suicídio. Mais tarde, ele volta como fantasma e convence Bo a matar um homem jovem, para que ele consiga possuir o corpo da vítima e voltar a fazer sexo com ela.

Depois de muito relutar, Bo decide que não tem problema matar uma pessoa saudável se isso significa que ela poderá voltar a ter relações com seu marido morto. O fantasma então entra no corpo de outro homem e o casal finalmente transa. Todos vivem felizes para sempre, exceto o jovem que foi assassinado.

Mas cadê o presidente?

Em uma trama secundária, Bo tenta fechar um negócio imobiliário com o magnata então empresário. Ao longo de toda a negociação, que dura um total de duas cenas, ele flerta descaradamente com a protagonista. Leia abaixo um dos diálogos.

Leia também: Trump culpa republicanos mais radicais por fracasso na reforma da saúde

Trump: “Tenha certeza, Srta. Scott, que nessa sala tem facas afiadas o suficiente para te cortar até o osso – e corações frios o suficiente para comer o seu de aperitivo”

Bo Derek: “Você é bonito demais para ser malvado”

Trump: “Você percebeu”.

Em outra cena, a personagem de Bo Derek elogia o então futuro presidente por seu livro “A arte da negociação”, que havia sido lançado recentemente quando o filme foi produzido. Ele aceita os elogios enquanto acaricia de forma sugestiva uma miniatura de iate.


Crítica

O filme foi extremamente mal recebido, faturando por volta de US$ 25 mil (aproximadamente R$ 78 mil hoje em dia) nas bilheterias dos Estados Unidos. Além disso, recebeu nove indicações ao prêmio Framboesa de Ouro, conhecido como o Oscar dos filmes ruins.

No total, teve quatro vitórias: Pior Filme, Pior Atriz, Pior Diretor e Pior Ator Coadjuvante, prêmio dado a Donald Trump. Isso faz dele a única pessoa a receber um prêmio de Pior Ator por interpretar si próprio e o primeiro vencedor do Framboesa de Ouro a se tornar presidente.

Leia também: Apoiador do Brexit, Trump manda mensagem pelos 60 anos da União Europeia

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários