Tiroteio teria sido aberto pela polícia após ataque em Parlamento em Londres
Repropução/Twitter
Tiroteio teria sido aberto pela polícia após ataque em Parlamento em Londres


Após os ataques ocorridos em Londres na última semana a Ministra do Interior do Reino Unido, Amber Rudd, afirmou que as agências de inteligência deveriam ter acesso a todas as plataformas de mensagens, como por exemplo, o Whatsapp. Esse acesso irrestrito aos dados, segundo Rudd, ajudaria no combate ao terrorismo. As informações são da Agência EFE.

Leia também: Veja quem são as vítimas do atentado terrorista em Londres

Durante a entrevista a emissora britânica BBC neste domingo (25), Amber Rudd criticou os sistemas de criptografia usados por esses canais de mensagens, e considerou ‘inaceitável” que os agentes de inteligência não tenham acesso ao conteúdo das mensagens enviadas por terroristas.

As críticas a esse excesso de privacidade foram ressaltadas pela Ministra do Interior do Reino Unido, após ter sido descoberto que Khalid Masood – que cometeu o ataque em Londres na última quarta-feira (22) trocou mensagens pelo Whatsapp minutos antes do ataque. Isso impede que o serviço secreto do Reino Unido identifique essa pessoa, que pode ter envolvimento no ataque.

"É totalmente inaceitável, não deveria haver lugar no qual os terroristas possam se esconder. Temos que estar seguros de que organizações como o Whatsapp, e há muitas outras como ela, não se tornem um lugar secreto para que os terroristas se comuniquem entre eles", enfatizou a ministra do Interior.

Você viu?

Amber, mesmo após ter mencionado outros canais de troca de mensagens, fez questão de evidenciar o Whatsapp.  "Temos que garantir que nosso serviço de inteligência tenha a capacidade de ter acesso ao Whatsapp", especificou ela.

As declarações da Ministra do Interior ocorrem logo após a Polícia Metropolitana de Londres afirmar que Khalid Masood agiu sozinho e que não foram encontradas evidências de que novos atentados terroristas aconteçam novamente em Londres.

Leia também: Tiroteio em casa noturna deixa um morto e 14 feridos nos EUA

O ataque

Na última quarta-feira (22) Londres ficou atônita após um carro, sendo dirigido por Khalid Masood, atropelou um grupo de pessoas que passavam pela ponte Ponte de Westminster, em frente ao icônico Big Bem. Após o atropelamento, Masood dirigiu-se ao Parlamento Britânico onde desferiu facadas em um policial, que não resistiu aos ferimentos. Ele foi baleado por agentes de segurança e não resistiu aos ferimentos. No ataque quatro pessoas perderam suas vidas e outras 50 ficaram feridas.

*Com informações da Agência Brasil

Leia também: Milhares de britânicos vão às ruas e protestam contra o "Brexit"

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários