Preso em cabine da roda-gigante London Eye, turista publicou foto da ponte Westminster, palco de ataque em Londres
Reprodução/Twitter - @hhersio
Preso em cabine da roda-gigante London Eye, turista publicou foto da ponte Westminster, palco de ataque em Londres

Uma mulher se jogou da ponte de Westminster, palco do ataque ocorrido nesta quarta-feira (22) em Londres , para tentar escapar do atentado que deixou ao menos quatro mortos – entre eles um policial e o próprio autor do ataque – e 20 feridos.

A mulher foi retirada do rio Tâmisa com ferimentos graves, de acordo com a Autoridade Portuária de Londres , que foi a responsável pelo resgate.

Também em decorrência do atentado, turistas que visitavam a roda-gigante London Eye, importante cartão-postal da capital da Inglaterra, ficaram presos por mais de uma hora em duas cabines da atração. Os compartimentos já foram esvaziados e a roda-gigante permanecerá fechada.

Leia também: Atentado em Bruxelas completa um ano e Bélgica faz homenagem às vítimas

Tarde de terror na Terra da Rainha

De acordo com relatos de testemunhas e informações do jornal britânico The Guardian, o autor do ataque avançou com seu carro sobre pedestres que caminhavam pela ponte Westminster, próximo ao Parlamento britânico, por volta das 14h40 no horário local. 

Você viu?

Após o veículo bater em uma grade de proteção, o motorista desceu do carro armado com uma faca e atacou um policial ao tentar invadir a sede do Parlamento, onde a primeira-ministra britânica, Theresa May, seria sabatinada.

O homem foi alvejado por tiros disparados por outros policiais e o Parlamento britânico foi isolado após a ocorrência. As autoridades policiais acreditam que o autor do ataque agiu sozinho e foi inspirado por ideais do Estado Islâmico, mas ainda não descartou outras hipóteses. A identidade dele não foi revelada até o momento.

O policial esfaqueado é uma das pessoas que tiveram a morte confirmada até o momento. Fotos divulgadas na internet (veja ao fim deste texto) mostram o ministro Tobias Ellwood prestando socorro ao agente ensanguentado após o ataque.

O primeiro-ministro da França, Bernard Cazeneuve, confirmou que um grupo de estudantes franceses está entre as pessoas que ficaram feridas.


    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários