Trump defendeu um orçamento que coloque a América em primeiro lugar e que ajude na batalha contra o Estado Islâmico
reprodução/ABC News
Trump defendeu um orçamento que coloque a América em primeiro lugar e que ajude na batalha contra o Estado Islâmico

Com o objetivo de acelerar a ofensiva contra o grupo jihadista Estado Islâmico no Iraque e na Síria, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, apresentou na noite desta quinta-feira (16) seu projeto de orçamento no qual propõe uma reforma nos gastos federais aumentando o investimento no setor militar e na defesa e fazendo cortes nas áreas da saúde, da educação e das ciências.

Leia também: Veja tudo sobre o Estado Islâmico no iG

"Um orçamento que coloca a América em primeiro lugar deve tornar a segurança do nosso povo a sua prioridade número um porque sem segurança, não pode haver prosperidade", disse Trump em uma mensagem que acompanha o projeto. Trump já anunciou diversas vezes que o foco do seu governo será a batalha contra o Estado Islâmico e o reforço na segurança do país.

Segundo o plano orçamentário, o Departamento de Estado terá menos 29% de verba, que afetará os programas de ajuda a países estrangeiros. Já o Departamento de Agricultura e o do Trabalho sofrerão um corte de 21% em seus orçamentos.

Além disso, são defendidos cortes de 14% na educação e menos investimento nos meios de comunicação públicos, o que pode causar o fim de centenas de rádios locais e do canal de televisão PBS.

No orçamento da Agência de Proteção Ambiental (EPA), o governo propõe um corte de 31%, o que eliminaria seus programas de mudança climática e diminuiria as principais iniciativas destinadas a proteger a qualidade do ar e da água.

Leia também: Retorno de 850 militantes britânicos do EI ao Reino Unido acende alerta no país

Você viu?

Caso essa proposta seja aprovada pelo Congresso norte-americano, cerca de 19% dos funcionários da EPA serão demitidos. A medida também colocaria fim nas iniciativas propostas pelo ex-presidente Barack Obama de mudança climática.

Maior orçamento para os militares desde Reagan

De acordo com o projeto do magnata, estes cortes representam US$ 54 bilhões, que na sua totalidade serão revertidos para o investimento no setor militar e na defesa das fronteiras norte-americanas.

O projeto orçamentário, ainda destina US$2,6 bilhões para o planejamento, design e construção do controverso muro na fronteira do país com o México.

No total, é previsto um aumento de 6% no orçamento do Departamento de Veteranos de Guerra, 7% no Departamento de Segurança Interna e 9% no Departamento de Defesa. Este aumento para os militantes é o maior desde o governo de Ronald Reagan nos anos 1980.

Leia também: Boko Haram 'imita' o Estado Islâmico e publica vídeo de decapitação

"Esta solicitação permitirá ao Departamento de Defesa perseguir uma estratégia integral para acabar com a ameça que o Estado Islâmico representa aos Estados Unidos", informou Trump em carta enviada ao presidente da Câmara dos Representantes, Paul Ryan.

* Com informações da Agência Ansa.

    Leia tudo sobre: estado islâmico

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários