Tamanho do texto

Parlamentar polonês havia dito que "mulheres são menos inteligentes" que homens e que isso justificaria que seus salários sejam menores que os deles

Deputado polonês fez tais declarações sobre as mulheres durante o seu discurso no Parlamento Europeu
Reprodução/Facebook
Deputado polonês fez tais declarações sobre as mulheres durante o seu discurso no Parlamento Europeu

O deputado polonês Janusz Korwin-Mikke, que no início do mês disse que as mulheres são "mais fracas" e "menos inteligentes" que os homens , durante um debate no Parlamento Europeu sobre a diferença salarial entre homens e mulheres, sofrerá sanções devido ao teor machista e misógno de suas declarações.

Nesta terça-feira (14), o Parlamento Europeu anunciou que decidiu impor "sanções sem precedentes" ao deputado. Korwin-Mikkle ficará suspenso de todas as suas atividades no Parlamento durante 10 dias e não poderá representá-lo durante um ano. Além disso, vai perder mais de nove mil euros de ajuda de custo durante 30 dias.

"Não tolerarei um comportamento destes. Ao ofender todas as mulheres, o deputado mostrou desprezo pelos nossos valores mais fundamentais", afirmou o presidente do Parlamento, Antonio Tajani, que considerou a punição "proporcional à gravidade da ofensa".

“Sabe que lugares ocupavam as mulheres nas Olímpiadas gregas? A primeira mulher, digo-lhe, ficou em 800.º lugar. Sabe quantas mulheres há entre os primeiros cem jogadores de xadrez? Eu digo-lhe: nenhuma", disse o deputado, justificando o que diria a seguir. "É claro que as mulheres devem ganhar menos que os homens, porque são mais fracas, mais pequenas e menos inteligentes”, afirmou Kowin-Mikke, na ocasião.

Leia também: "Não é dia de flor, é dia de luta": mulheres fazem greve ao redor do mundo

Em resposta ao parlamentar polonês, a deputada Iratxe García tomou a palavra, acusando-o de estar "doído" e "preocupado" com a presença de mulheres em lugares antes não alcançados por elas.

“Senhor deputado, segundo as suas teorias, eu não teria o direito de estar aqui como deputada. Sei que lhe dói e que o preocupa que hoje nós, mulheres, possamos representar cidadãos em condições igualitárias. Eu venho aqui defender as mulheres europeias de homens como o senhor”, afirmou ela.

Histórico racista e preconceituoso

Esta não é a primeira vez que o polonês é sancionado. Em 2012, Korwin-Mikkle foi penalizado por fazer comentários racistas. Já em 2015, fez uma saudação nazista no Parlamento Europeu, o que lhe custou uma multa de três mil euros e a perda de dez dias do seu salário. Recentemente, o candidato de extrema-direita também ofendeu os imigrantes e os definiu como "lixo humano que não quer trabalhar".

Leia também: Jair Bolsonaro é hostilizado durante visita à Universidade Mackenzie

* Com informações da Agência Ansa.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.