O orfanato
Reprodução/Daily Mail
O orfanato "Bon Secours Mother and Baby Home" funcionou entre os anos de 1925 e 1961, na Irlanda

Um grupo de especialistas descobriu restos mortais de bebês e crianças enterrados em uma fossa comum em um antigo orfanato católico na Irlanda. A descoberta, que foi divulgada nesta sexta-feira (3), acontece em meio a investigações sobre 800 crianças que morreram na instituição.

Leia também: Polícia persegue 'disco voador' pelas ruas da Irlanda; assista

Localizado na cidade de Tuam, no condado de Galway, o orfanato "Bon Secours Mother and Baby Home” funcionou entre os anos de 1925 e 1961 como um lar para crianças e mães solteiras jovens da Irlanda .

Testes de DNA apontaram que as crianças enterradas na fossa tinham idade entre 35 semanas e 3 anos.

A investigação foi feita por uma comissão, instituída pelo governo local para apurar a atuação de centros religiosos no auxílio a jovens grávidas, após uma denúncia da historiadora Catherine Corless, que descobrira a certidão de óbito de 800 crianças residentes na instituição, mas nunca os registros de enterro delas.

Testes de DNA apontaram que as crianças enterradas nas 20 câmaras da fossa tinham idade entre 35 semanas e 3 anos
Reprodução/Daily Mail
Testes de DNA apontaram que as crianças enterradas nas 20 câmaras da fossa tinham idade entre 35 semanas e 3 anos


Você viu?

A comissão afirma que as mulheres e jovens que viveram nas casas católicas e conventos sofreram fome, miséria e tratamentos violentos, o que levou à morte de várias meninas e de seus bebês.

Leia também: Cliente deixa gorjeta de R$ 4 mil em restaurante na Irlanda do Norte

Muitas jovens trabalhavam gratuitamente em troca do auxílio das freiras na gravidez e no parto.  Após os bebês nascerem, eles eram colocados em uma ala separada da de suas mães e entregues para adoção.

Philomena Lee

Lançado em 2013, o filme Philomena  narra um episódio inspirado em fatos reais ocorridos na Irlanda em 1952, com uma mulher que engravidou na adolescência, foi mandada para o convento Roscrea e teve seu filho vendido pelas freiras católicas.

Em 2014, a mulher que inspirou o filme, Philomena Lee, nascida na Irlanda, reuniu-se com o papa Francisco, no Vaticano. Atualmente, ela está à frente do "Philomena Project", que tenta ajudar outras mães a encontrarem seus filhos e luta para que o governo irlandês promulgue uma lei que permita consultas a registros de crianças adotadas.

Leia também: Brasileiro é encontrado morto no aeroporto de Dublin, na Irlanda

* Com informações da Agência Ansa.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários