Tamanho do texto

Ataque ocorreu em frente a posto de segurança na cidade de Al Bab, no noroeste do país; agência turca associa atentado a ação do Estado Islâmico

Vídeo amador mostra estrago logo após explosão de carro-bomba em Susian, ao noroeste da cidade de Al Bab
Reprodução
Vídeo amador mostra estrago logo após explosão de carro-bomba em Susian, ao noroeste da cidade de Al Bab

Ao menos 60 pessoas morreram e dezenas ficaram feridas após a explosão de um carro-bomba nesta sexta-feira (24) em um posto de segurança em Susian, ao noroeste da cidade de Al Bab, em Alepo, na Síria.

Segundo a imprensa local, o número de mortos pode aumentar nas próximas horas porque há diversos feridos em estado grave. A agência de notícias turca Anadolu creditou o ataque na Síria ao grupo terrorista Estado Islâmico .

A explosão desta sexta-feira aconteceu próximo a duas sedes de grupos rebeldes sírios, que lutam tanto contra as forças do regime do presidente, Bashar al-Assad, tanto contra o Estado Islâmico.

O ataque ocorre no dia imediatamente seguinte à expulsão de jihadistas do EI de Al-Bab. A operação de retomada da cidade teve início em agosto do ano passado e foi liderada por rebeldes apoiados pela Turquia e envolveu diversos conflitos na região.  Este era o último reduto do grupo jihadista no noroeste sírio, junto com as cidades Qabasin e Al-Bezah.

LEIA MAIS: "Não verei alegria desses animais me estuprando", diz síria em carta de suicídio

Um vídeo publicado pelo perfil @worldonalertno Twitter mostra pessoas feridas logo após a explosão do carro-bomba nesta sexta-feira. Veja abaixo:


Estado Islâmico

Formado em abril de 2013, o Estado Islâmico é um grupo terrorista sunita criado por dissidentes da Al-Qaeda do Iraque que atuam principalmente na Síria e também no próprio país, mas que nos últimos anos tem realizado ataques mortais na Europa. Os terroristas do Estado Islâmico , ao contrário de outros grupos da região,  tentam implantar um emirado islâmico que abranja tanto a Síria quanto o Iraque; em 2015, o grupo terrorista dominou metade do território da Síria após ocupar a cidade de Palmira, onde enfrentou e massacrou uma tribo de rebeldes e não teve qualquer tipo de resistência contra a ação.

*Com informações da Agênsia Ansa

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.