Tamanho do texto

De acordo com assessor, presidente é acessível ao "americano comum" ao se hospedar em clube de luxo, que dobrou de preço depois do membro de luxo

Queridinho de Trump, Mar-a-Lago cobra U$ 200 mil como taxa de associação e oferece hospedagem de luxo aos membros
Reprodução/Mar-a-Lago
Queridinho de Trump, Mar-a-Lago cobra U$ 200 mil como taxa de associação e oferece hospedagem de luxo aos membros

Depois de Trump passar três de suas quatro primeiras semanas em poder no clube de golfe Mar-a-Lago, a assessoria do presidente afirmou que suas longas estadias no resort na Flórida são uma forma de torná-lo mais acessível ao “americano comum”.

LEIA MAIS: Trump escolhe general estrategista como novo conselheiro de Segurança dos EUA

A afirmação do porta-voz de Trump , entretanto, ignora o fato de a associação ao clube de golfe citado custar US$ 200 mil (aproximadamente R$ 620 mil), valor equivalente a pouco menos de quatro vezes a renda média das famílias americanas.

Inclusive, a taxa de associação do Mar-a-Lago dobrou de preço depois que o republicano venceu as eleições presidenciais em novembro. Esse aumento levou a crer que o presidente pode ter vendido acesso a lobistas e empresários ricos.

LEIA MAIS: No Instagram, fotógrafo de Obama vira o "rei das trolladas" ao presidente Trump

Além disso, o clube faz uso dos campos de golfe das Organizações Trump em West Palm Beach e membros do clube recebem acesso e regalias em outros 12 clubes de golfe da organização nos Estados Unidos e em outros países como Escócia, Irlanda e Dubai.

De acordo com a "CNN", os sócios do clube superexclusivo podem encontrar a filha do presidente, Ivanka, “lendo na beira da piscina, tirando selfies com o conselheiro de seu pai, Steve Bannon, e até tendo acesso à maleta nuclear (que permite que o presidente lance ataques a qualquer momento)”.

LEIA MAIS: Trump convida ex-oficial para assumir Segurança dos EUA, mas ouve um 'não'

O republicano gosta tanto do resort que já se refere ao local como a “Casa Branca de inverno”, mas suas estadias levantam preocupações quanto à segurança nacional. A situação se tornou ainda mais preocupante depois que surgiram fotos do presidente em um restaurante do clube acompanhado do primeiro ministro japonês preparando resposta ao lançamento de mísseis na Coreia do Norte.

“Casa Branca de inverno”

O Mar-a-Lago oferece a seus sócios aulas particulares de tênis e croquet e acesso à praia e à piscina. Além dos campos de golfe, os serviços de spa e salão de beleza também pertencem às Organizações Trump. Outras amenidades do resort queridinho do presidente incluem suítes e transporte de luxo, boutique e espaço para eventos de gala.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.