Tamanho do texto

‘Gangue’ dava drogas e bebidas a meninas de 12 a 16 anos para que homens pudessem abusar sexualmente; julgamento de envolvidos ainda acontece

Amanda Spencer, de 25 anos, foi apontada como integrante do grupo que prostituía menores em cidade britânica
South West News Service
Amanda Spencer, de 25 anos, foi apontada como integrante do grupo que prostituía menores em cidade britânica

Um grupo está sendo julgado no condado de Sheffield, na Inglaterra, por drogar e prostituir meninas entre 12 e 16 anos para homens desconhecimentos. Uma das vítimas afirmou na corte que teve de se deitar com mais de 50 homens e que, se não obedecesse, seria violentada pelos participantes da gangue criminosa.

LEIA MAIS: Jovem acorda de madrugada para fazer sexo com namorada, mas acaba morrendo

Amanda Spencer, de 25 anos, e Christopher Whiteley, de 23 anos, são dois dos seis envolvidos no esquema de prostituição de menores. Segundo foi ouvido no julgamento, o grupo estabelecia alguns planos para ganhar dinheiro com a prostituição das crianças. Uma das vítimas mais jovens afirmou que “tinha medo” de Amanda – cujo passado também foi ‘problemático’.

O juiz do caso disse que a britânica também era obrigada a se prostituir na infância e “acabou invertendo a situação em sua cabeça, ganhando dinheiro com a exploração alheia ao invés de ser explorada”.

Christopher é acusado de estupro e tentativa de estupro de meninas em situações vulneráveis, em Castle Market, entre 2007 e 2010, quando tinha entre 13 e 16 anos. Ele também foi apontado por ter obrigado crianças a manter relações sexuais com estranhos, junto dos irmãos Shane Whiteley, de 29 anos, e Matthew Whiteley, de 24 anos, além do amigo Andre Francis-Edge, de 25 anos.

LEIA MAIS: Médicas serão processadas por tirar selfie com paciente que morreu em cirurgia

De acordo com as investigações, o grupo usava o apartamento de Shane como uma espécie de prostíbulo, onde as meninas eram agredidas e abusadas. As vítimas do grupo contaram que eram maquiadas e drogadas pelos criminosos, a fim de se “prepararem” para os atos sexuais a que seriam submetidas ao longo do dia.

Uma das vítimas afirmou que Amanda chegou a vendê-la para um cliente chamado Taleb Bapir, de 38 anos. Ele também é investigado e julgado por estupro.

LEIA MAIS: "Assassina do sorvete": mulher mata, retalha e esconde corpos de marido e amante

O “The Sun” divulgou o caso nesta quinta-feira (2). Segundo o tabloide britânico, os envolvidos com os crimes de prostituição de menores, estupro e tentativa de estupro ainda estão sendo ouvidos pela Justiça e aguardam o julgamento.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.