Tamanho do texto

Presidente Donald Trump critica teste de míssil feito pelo país do Oriente Médio; Teerã nega irregularidades e diz que não violou resoluções da ONU

Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump tem adotado medidas polêmicas envolvendo países muçulmanos
Divulgação/Facebook/Donald J. Trump
Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump tem adotado medidas polêmicas envolvendo países muçulmanos

O governo norte-americano divulgou nesta sexta-feira (3) um novo conjunto de sanções contra o Irã em razão do teste de míssil recentemente realizado pelo país, localizado no Oriente Médio. O anúncio foi feito pelo Departamento do Tesouro dos Estados Unidos.

LEIA MAIS: Trump demite secretária que se opôs à proibição da entrada de imigrantes

Segundo informações publicadas pela agência Ansa, os alvos das medidas são 13 pessoas e 12 empresas e entidades iranianas supostamente envolvidas no programa armamentista de Teerã. Elas são acusadas pelos Estados Unidos de "contribuir para a proliferação de armas de destruição em massa" e de "ligações com o terrorismo".

O Irã já havia sido advertido na última quarta-feira (1º) pela Casa Branca sobre a execução do teste de míssil, ato que foi considerado como “provocação” pelo governo do presidente republicano Donald Trump. Como resposta, as autoridades iranianas afirmaram que não cometeram “nenhuma violação” às resoluções definidas pela ONU (Organização das Nações Unidas).

O Irã é uma das sete nações incluídas no recente decreto do presidente Trump que suspende por 90 dias a entrada em solo norte-americano de cidadãos de sete nações de maioria muçulmana. Os outros são Síria, Iraque, Iêmen, Líbia, Sudão e Somália.

LEIA MAIS: Decreto de Trump contra imigrantes dificulta emissão de vistos para brasileiros

O acordo nuclear assinado entre o Irã e as principais potências mundiais que permitiu a Teerã a continuidade no desenvolvimento de seu programa atômico para fins pacíficos sempre foi criticado por Trump . "O Irã é indiferente às ameaças provenientes do exterior. Nunca começaremos uma guerra, mas usaremos nossas armas para nos defender", disse nesta sexta-feira o ministro iraniano das Relações Exteriores, Mohammad Javad Zarif.

Por meio de seu Banco Central, o Irã também estuda abolir o uso do dólar como moeda de referência em transações internacionais. Um possível substituto seria o euro, mas o país também possui intensas relações comerciais com grandes nações que adotam outras divisas, como a Rússia (rublo) e a China (yuan).

Muro

Entre as polêmicas envolvendo Donald Trump em seu primeiro mês de mandato como presidente está a assinatura de um decreto que determina a construção de um muro na fronteira com o México .

O objetivo da barreira, segundo o mandatário, é evitar a entrada nos Estados Unidos de imigrantes ilegais, terroristas e objetos contrabandeados.


* Com informações da Agência Brasil

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.