Tamanho do texto

Acidente aconteceu na quarta-feira na semana passada; de acordo com as autópsias, dos 29 mortos, seis foram vítimas de asfixia e congelamento

Avalanche atingiu hotel na cidade de Farindola, na Itália. Ao todo, 29 pessoas morreram e 11 ficaram vivas
Matteo Guidelli/divulgação/Agência Lusa
Avalanche atingiu hotel na cidade de Farindola, na Itália. Ao todo, 29 pessoas morreram e 11 ficaram vivas

O resgate das vítimas e a busca pelos corpos das pessoas que morreram na avalanche que atingiu o Hotel Rigopiano, na Itália, na quarta-feira da semana passada (18), terminaram na madrugada desta quinta-feira (26). Dois últimos corpos foram resgatados.

LEIA MAIS: Helicóptero que trabalhava em resgate de hotel soterrado cai na Itália

O balanço oficial do acidente, de acordo com as autoridades da Itália , é de 29 mortos e 11 sobreviventes. Não há mais pessoas desaparecidas na lista fornecida pelas equipes de resgate, que contabilizava 28 hóspedes, entre eles quatro crianças, e 12 funcionários do hotel.

Localizado na província de Pescara, o Hotel Rigopiano foi soterrado por uma avalanche que desceu das montanhas do Parque Nacional do Gran Sasso na noite do último dia 18 de janeiro. A avalanche foi causada por terremotos que atingiram o centro da Itália no mesmo dia.

Demora no resgate das vítimas

O grande volume de neve, que deslocou a estrutura do hotel em 10 metros, dificultou as operações de resgate, que começaram 12 horas depois do primeiro pedido de socorro, às 17h08 locais.  As autoridades só acreditaram que se tratava de uma avalanche às 19h daquele mesmo dia.

LEIA MAIS; Após terremotos, avalanche deixa hotel soterrado na Itália com 30 vítimas

Os sobreviventes ficaram mais de um dia soterrados sob os escombros e sob a neve. De acordo com autópsias realizadas em seis corpos, as causas da morte foram asfixia e congelamento.

Premiê admite falha 

De acordo com agências internacionais de notícias, em seu relatório ao Parlamento, o primeiro-ministro Paolo Gentiloni admitiu a demora inicial do trabalho de resgate das vítimas.

No entanto, em sua justificativa, Gentiloni ressaltou que a tempestade sem precedentes que aconteceu sobre a região – que recebeu dois metros de neve em apenas 72 horas – e os quatro poderosos terremotos que também sacudiram todo o centro do país haviam ocupado as equipes de resgate italianas.

LEIA MAIS: Ainda em reconstrução, centro da Itália sofre três terremotos em uma hora

De acordo com as autoridades da Itália, a avalanche de neve que aconteceu sobre o Hotel Rigopiano derrubou 60 mil toneladas de neve, rochas e árvores sobre o resort.

* Com informações da Agência Ansa.