Tamanho do texto

Número que pessoas que estavam dentro do hotel ainda é incerto; equipes de busca trabalham com informação de que há entre 25 e 30 feridos sob neve

O hotel na Itália teria desabado parcialmente, enquanto a outra parte estaria debaixo da neve trazida pela avalanche
Reprodução/Twitter
O hotel na Itália teria desabado parcialmente, enquanto a outra parte estaria debaixo da neve trazida pela avalanche

Seis pessoas foram encontradas vivas sob os escombros do Hotel Rigopiano, em Farindola, que foi soterrado de neve por uma avalanche na noite da última quarta-feira (18) , na Itália. A informação foi confirmada nesta sexta-feira (20) pelo Corpo de Bombeiros local.

Para ajudar no resgate, as equipes pediram que cinco helicópteros fossem enviados à região da avalanche . Segundo as primeiras informações, a localização dos sobreviventes ocorreu pouco após as 11h no horário local (8h no horário de Brasília) e os socorristas conseguiram conversar com eles por diversas vezes.

O grupo ainda está sob os restos da estrutura e o resgate pode demorar horas por conta das dificuldades e da quantidade de neve que invadiu o hotel.

LEIA MAIS: Após onda de terremotos, Itália sofre com tempestade que já causou uma morte

As equipes de resgate estão trabalhando sem descanso por mais de 48 horas, com o auxílio apenas de pás e de cães farejadores. As condições de trabalho são extremas, com temperaturas abaixo de zero e nevascas temporárias.

O número de pessoas que estavam no Rigopiano na hora do acidente ainda é incerto. O subsecretário regional de Pescara, Mario Mazzoca, informou que devem ser 35 pessoas - entre hóspedes e funcionários. As equipes de buscas trabalham com a informação de que há entre 25 e 30 feridos, já que três pessoas foram retiradas com vida logo após a chegada dos socorristas e mais quatro corpos foram encontrados.

A Procuradoria de Pescara abriu uma investigação por homicídio culposo, quando não há a intenção de matar, sobre a avalanche que destruiu o hotel. De acordo com os sobreviventes, todos os hóspedes e funcionários estavam no hall de entrada e esperavam por um caminhão limpador de neve para abandonar o local. Eles estavam assustados com a série de terremotos que atingiu o país na quarta-feira (18) e foram orientados a deixar o hotel.

Pedidos de resgate

Um casal que está entre os hóspedes do hotel enviou mensagem de texto aos serviços de emergência da Itália pedindo ajuda. "Ajuda, ajuda, estamos morrendo de frio", diz o texto. 

A neve no local chega a uma altura de quatro metros e impediu até o acesso dos carros de resgate e ambulâncias, que tiveram que estacionar a uma distância de nove quilômetros.

LEIA MAIS: Itália sofre com mais um terremoto na região central e danos se multiplicam

O primeiro alerta de avalanche foi dado às 19h56 desta quarta (16h56 de Brasília). Às 23h locais (20h de Brasília), as equipes de resgate informaram que estavam indo em direção ao hotel, mas que levariam cerca de duas horas para chegar ao posto. Naquele momento, falava-se em apenas três desaparecidos. O tamanho da tragédia só foi percebido na madrugada desta quinta.

* Com informações da Agência Ansa.