Professores procuram negociar greve com prefeito Ricardo Nunes
Reprodução
Professores procuram negociar greve com prefeito Ricardo Nunes

Os professores da rede municipal de ensino de  São Paulo que estão em greve há mais de 100 dias, procuram negociar a paralisação com o prefeito da cidade, Ricardo Nunes (MDB). A principal reivindicação da categoria passa por melhores protocolos e condições sanitárias para o retorno das atividades presenciais na capital paulista. As informações são do portal Uol.

Fernando Padula, secretário de Educação, foi acusado pelas entidades sindicais de não participar das reuniões de negociação. Nesta quinta-feira (27), as 13h, os profissionais farão uma manifestação em frente a Câmara dos Vereadores para pressionar o legislativo municipal.

O secretário dos trabalhadores da Educação do Sindsep (Sindicato dos Servidores Municipais de São Paulo), Maciel Nascimento, declarou que "estamos desistindo de falar com o secretário [de educação]. Desde o início da greve, ele não esteve com a gente nas reuniões. Agora estamos tentando com os vereadores uma interlocução com o prefeito".

A primeira paralisação dos professores ocorreu no dia 15 de fevereiro, antes do primeiro retorno presencial. Após pouco mais de 20 dias, a gestão municipal foi antecipado para 17 de março.

Você viu?


Uma professora da rede municipal de ensino reiterou que o retorno seguro é a principal reivindicação da classe. "Queremos retornar, mas para isso precisamos ter um retorno seguro e vacina. Na minha escola, de mais de 100 profissionais, apenas 18 foram vacinados.

A Prefeitura de São Paulo, por sua vez, diz através da Secretaria Municipal da Educação (SME), que realizou 18 encontros com entidades sindicais que representam profissionais da educação do estado.

“Acredito que o diálogo é uma das mais importantes ferramentas para uma boa gestão. Procuraremos sempre manter essa proximidade com o setor”, declara o secretário Padula, se defendendo da acusação.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários