Pasta publicou guia de orientações para evitar o contágio no ambiente escolar
Foto: Luiza Moraes / Agência O Globo
Pasta publicou guia de orientações para evitar o contágio no ambiente escolar

O Ministério da Saúde lançou um guia com orientações para a retomada das atividades presenciais nas escolas do País. A informação foi divulgada em nova coletiva de imprensa, nesta sexta-feira (18). De acordo com a pasta, o governo federal liberou R$ 454 milhões para auxiliar estados e municípios nesse retorono. Parte do dinheiro deverá ser utilizado para a compra equipamentos de proteção individual (EPIs) e produtos como álcool em gel.  Leia o documento completo aqui.

O guia tem de 16 páginas e orienta as escolas a medir a temperatura de alunos e profissionais sempre que chegarem às escolas, orientar a higienização das mãos e punho antes da entrada na sala de aula, limitar as interações em grandes grupos, manter o espaço físico de no mínimo 1 metro entre os estudantes dentro e fora da sala de aula, entre outros. 

O lançamento do guia acontece em meio às iniciativas em diversos estados para a retomada das aulas presenciais tanto na rede pública quanto privada de ensino. 

O secretário de Atenção Primária do ministério, Raphael Câmara, ressaltou que o guia é uma orientação dada aos gestores locais, não é obrigatório e que a retomada das aulas é resultado de uma decisão de estados e municípios.

Segundo o secretário-executivo da pasta, Elcio Franco, deve-se levar em consideração a taxa de infecção e letalidade antes de decidir reabrir as escolas. “Vamos absorver novos hábitos, como a higienização, uso da máscara, distanciamento, tudo isso aliado à uma futura vacina. Com toda segurança possível, vamos retomar as atividades que são necessárias até para a saúde mental”, afirma.

O documento alerta que estudantes e professores com doenças crônicas, hipertensão, asma, diabetes, síndromes, disfunções de imunidade e cardiopatias devem passar por avaliação caso a caso para voltar às aulas. Se forem liberadas, precisam adotar ainda mais rigor nas medidas de segurança.

Caso haja confirmação de um aluno ou professor infectado com a Covid-19 na escola, o documento orienta que a comunidade escolar, os pais e as autoridades locais sejam informadas, e se “reavalie” as atividades escolares.

“O processo de reabertura das escolas é complexo e demanda esforços de diversos setores, bem como congrega uma série de práticas políticas, sociais, gerenciais, sanitárias e assistenciais. Dessa forma, o planejamento e a organização, definidos de forma intersetorial, são essenciais durante e após a reabertura das escolas. Estas orientações são um apoio para a adoção de estratégias de enfrentamento da Covid-19 nas escolas brasileiras”, diz o documento.

    Veja Também

      Mostrar mais