Uerj vai pagar R$ 600 para que cotistas não tenham prejuízo em aulas remotas
Divulgação
Uerj vai pagar R$ 600 para que cotistas não tenham prejuízo em aulas remotas

A Universidade Estadual do Rio de Janeiro decidiu instituir uma espécie de  auxílio emergencial  para que alunos possam comprar material didático e ampliar o grau de inclusão digital da comunidade estudantil. Terão direito a receber a quantia os estudantes dos cursos de graduação da Uerj e do Instituto de Aplicação Fernando Rodrigues da Silveira (CAp-Uerj) que atualmente têm direito à bolsa permanência.

De acordo com a instituição, o benefício será pago em setembro, em cota única, no valor de R$ 600, a serem usados em pacotes de dados de internet e equipamentos, por exemplo. A medida tem por objetivo que não haja prejuízo no desenvolvimento de atividades remotas.

Em nota, o reitor Ricardo Lodi Ribeiro explicou que, apesar de as atividades estarem suspensas desde março, a fim de proteger a saúde de sua comunidade acadêmica, a UERJ vem promovendo uma ampla discussão sobre o retorno das atividades por meio do ensino remoto emergencial, entendendo que a universidade não deve ficar sem atividades curriculares por período tão longo:

"Ocorre que aquela que se imaginava ser uma situação a perdurar por alguns meses se prolongou, podendo chegar até o final de 2020, não se sabendo ao certo quando e em quais condições poderemos voltar às nossas atividades presenciais (...) Temos consciência de que é essencial, caso o ensino remoto emergencial seja aprovado pelo Csepe, a adoção tempestiva de um plano de inclusão digital destinado aos estudantes, técnicos e docentes, para prover os instrumentos necessários a todos os que deles necessitarem para o desempenho de atividades remotas, seja do ponto de vista de pacote de dados de internet, seja em relação a equipamentos, para o desempenho de atividades remotas. Nesse sentido, já estamos adotando junto ao Governo do Estado as medidas orçamentárias necessárias para a realização deste plano, a fim de que ninguém fique para trás."

O reitor ainda ressaltou que todas as bolsas permanecem em vigor e serão mantidas até o final da pandemia . Também esclareceu que nenhum estudante será prejudicado em relação ao prazo de integralização curricular no período de pandemia, além de haver a possibilidade de trancamento do curso até o seu final.

"Todo esse esforço está sendo implementado na certeza de que a UERJ, mesmo diante da crise sanitária que vivemos, deve continuar cumprindo a sua missão institucional nos campos do ensino, da pesquisa e da extensão, levando adiante o seu projeto de universidade pública, gratuita, referenciada socialmente, laica e de excelência", concluiu Ricardo Lodi Ribeiro.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários