Aplicativo do Enem arrow-options
Toffetti / A7 Press / Agência O Globo
Candidatos ficaram com notas abaixo do que deveriam

O Ministério Público Federal (MPF) recebeu 250 representações de estudantes denunciando problemas nos resultados do Exame Nacional do Ensino Médio ( Enem ). O dado foi divulgado pela Procuradoria Geral da República (PGR) nesta quarta-feira. Um levantamento mostra que Minas Gerais concentra o maior número de representações, foram 97 no total.

Dos 14 estados que responderam ao questionamento da reportagem, nove foram procurados por estudantes para relatar falhas no Enem: Minas Gerais (97), São Paulo (17), Espírito Santo (1), Ceará (6), Bahia (5), Pernambuco (3), Rio Grande do Sul (1), Paraná (4), Pará (2).

No domingo, o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) anunciou que 5.974 candidatos foram afetados com erros na nota do Enem. O Inep corrigiu novamente todas as 3,9 milhões de provas para reparar os erros na divulgação de resultados. No total, chegaram ao órgão cerca de 172 mil e-mails de participantes solicitando apuração de suas médias.

Leia também: Por problemas técnicos, universidade não selecionará candidatos por meio do Sisu

Na tarde desta quarta-feira, o presidente do Inep , Alexandre Lopes, se reuniu com membros da PGR para prestar esclarecimentos sobre os problemas na prova. Segundo Lopes, o erro nas notas foi fruto de uma falha técnica na gráfica Valid Soluções S.A, responsável pelo exame. De acordo com a explicação, os cartões-resposta foram apensados com cores diferentes das respectivas provas.

Lopes argumentou ainda que nenhum candidato foi prejudicado, já que as notas foram corrigidas pelo Inep. Após as explicações, a subprocuradora-geral da República Célia Regina Souza Delgado concluiu que apesar do incidente não houve dano para os candidatos

    Leia tudo sobre: Enem

    Veja Também

      Mostrar mais