Tamanho do texto

Em resposta à notificação do MEC, a Wikipédia ofereceu um curso de treinamento sobre as regras da enciclopédia para a equipe do ministério

Weintraub arrow-options
Divulgação/Casa Civil
Insatisfeito com seu verbete na Wikipédia, Weintraub utilizou o MEC para notificar a administração da enciclopédia.

O ministro da Educação, Abraham Weintraub, está insatisfeito com as informações publicadas pela Wikipédia sobre a sua trajetória profissional. E, por não conseguir editar as informações disponíveis em seu verbete, o ministro utilizou o MEC para acionar extrajudicialmente a enciclopédia.

Leia também: Carla Zambelli apresenta PL que prevê obrigatoriedade do ensino cívico-militar

A notificação extrajudicial foi recebida por Rodrigo Padula, um dos administradores da Wikipédia , e diz que, com a restrição de acesso à página, Weintraub ficou “incapacitado de exercer seu direito à ampla defesa”. Em resposta ao e-mail, Padula ofereceu um curso de treinamento sobre as regras da Wikipédia para a equipe do ministério, mas não foi respondido.

Em seu verbete na enciclopédia consta que ele foi responsável por cortes no orçamento das universidades federais.  Além disso, a página de Weintraub na Wikipédia diz que o ministro foi acusado de nepotismo ao assumir um cargo de professor na Unifesp, onde sua mulher e seu irmão estão.

O caso tomou uma proporção maior depois que o deputado federal Marcelo Freixo (PSOL) enviou um requerimento ao MEC questionando o uso da assessoria do ministério para resolver uma questão pessoal de Weintraub . O ministro terá 30 dias para responder ao requerimento.