Tamanho do texto

Elmer Vicenzi participou de audiência na Comissão de Educação da Câmara e disse que não haverá censura de temas nas provas do Exame deste ano

Presidente do Inep, Elmer Vicenzi
Cleia Viana/Câmara dos Deputados - 14.5.19
Presidente do Inep, Elmer Vicenzi garantiu que Bolsonaro não pediu para ler o Enem 2019

O presidente do Instituo Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), Elmer Vicenzi, garantiu nesta terça-feira (14) que nenhuma autoridade, seja ela o ministro da Educação ou o presidente Jair Bolsonaro (PSL), pediu para ler o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) deste ano.

Leia também: Já fez sua inscrição no Enem 2019? Prazo termina na próxima sexta-feira

"Não foi [feito] pedido ao Inep, de nenhuma autoridade superior – ministro da Educação ou presidente – para ler a prova", disse Vicenzi durante a Comissão de Educação da Câmara dos Deputados. “Não me foi solicitado por ninguém ler a prova”, salientou, descartando qualquer censura no Enem .

A pergunta foi feita pelo deputado Alencar Santana Braga (PT-SP), mas a polêmica iniciou no ano passado, quando Bolsonaro criticou uma das questões do Enem 2018 e afirmou que tomaria conhecimento do conteúdo antes de a prova ser divulgada.

Elmer também informou sobre a comissão criada em março pelo Inep para avaliar de forma "transversal" as questões do Exame e que não foram retirados itens da base nacional de questões.

O presidente do Inep garantiu ainda que não houve qualquer corte de temas ligados a grupos minoritários. “A matriz de referência de estudo para os alunos é a mesma de 2009”, ressaltou.

As  inscrições para o Enem 2019 ainda estão abertas e vão até 17 de maio, ao custo de R$ 85 - alunos de escola pública, por exemplo, estão isentos da taxa. As provas acontecerão nos dias 3 e 10 de novembro em 1.727 municípios brasileiros. “Todo o cronograma está em dia e vamos trabalhar para que não haja percalço no caminho”, finalizou o presidente do Inep.

    Leia tudo sobre: enem