Tamanho do texto

Cerca de 29% dos 5.513.726 inscritos não compareceram ao Enem no segundo dia das provas; 66 foram eliminados por descumprimento do edital

O ministro da Educação, Rossieli Soares, defendeu a qualidade da prova do Enem, criticada pelo presidente eleito Jair Bolsonaro
Valter Campanato/Agência Brasil
O ministro da Educação, Rossieli Soares, defendeu a qualidade da prova do Enem, criticada pelo presidente eleito Jair Bolsonaro

O ministro da Educação, Rossieli Soares, reafirmou, em coletiva neste domingo (11), a segurança e a qualidade das provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Segundo Rossieli, a elaboração das questões segue um ritual composto de várias etapas previstas no portal do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep).

Leia também: Bolsonaro aponta "doutrinação exacerbada" no Enem e promete reformulação

“O processo segue todos os ritos de segurança e aquilo que é necessário para que tenhamos uma prova com qualidade”, disse o ministro, ao ser questionado sobre críticas ao Enem feitas pelo presidente eleito e estudantes.

Na semana passada, Jair Bolsonaro criticou temas tratados na primeira prova – linguagens, redação e ciência humanas. Ele se referiu a uma questão que abordou expressões ligadas ao universo homossexual. 

Rossieli afirmou que o Ministério da Educação e o Inep estão trabalhando para cumprir o calendário. “Não comentaremos as questões em si. Cabe ao presidente eleito fazer a gestão do Brasil a partir de 1º de janeiro, e isso inclui políticas públicas, processo e tudo mais. Caberá ao presidente, a partir de janeiro, fazer as discussões”, disse.

As questões do Enem fazem parte do Banco Nacional de Itens, à disposição do Inep para a elaboração das provas. Os colaboradores são selecionados em editais públicos e podem ser pessoas físicas ou jurídicas. As questões são testadas, e a prova é balizada por matrizes de competências e habilidades das áreas do conhecimento cobradas no Enem – linguagens, ciência humanas, ciências da natureza e matemática.

Enem tem 66 eliminados no segundo dia de provas

Segundo dia de provas do Enem tem testes de matemática e ciências da natureza
Luis Fortes/MEC - 11.11.18
Segundo dia de provas do Enem tem testes de matemática e ciências da natureza

No segundo domingo de provas, 1.610.681 estudantes faltaram ao Exame Nacional do Ensino Médio, o que representa 29,2% dos 5.513.726 inscritos. O índice é maior do que o do domingo passado, que foi de 24,9%, mas é menor que as taxas registradas no segundo dia de provas em 2016 e 2017. 

Leia também: Bolsonaro quer turismo para preservar meio ambiente e Enem com "o que interessa"

Rossieli Soares, afirmou ser normal o aumento de ausências no segundo dia do exame. “O número de ausências foi menor que nos últimos anos, mas é um pouco maior do que no primeiro dia, o que é normal. Às vezes, o aluno não tem o desempenho que deseja ou imagina e acaba não indo no segundo dia”, argumentou.

Neste domingo, 66 estudantes foram eliminados, a maioria por descumprimento das regras gerais do edital, como sair antes do horário permitido, usar material impresso e não atender a orientações dos fiscais. Dois foram eliminados na revista no detector de metais e por recusa na coleta dos dados biométricos.

Os 1.752 participantes afetados, no domingo passado (4), pela interrupção de energia elétrica, em Porto Nacional (TO) e Franca (SP), têm direito à reaplicação, dia 11 de dezembro, das provas de linguagens, redação e ciências humanas. As provas para pessoas privadas de liberdade serão aplicadas dias 11 e 12 de dezembro. 

Os participantes responderam, neste domingo, às questões de matemática e ciências da natureza. Foram cinco horas para resolver 90 questões. As provas foram aplicadas em 10.718 locais, distribuídos em 1.725 municípios. São cerca de 600 mil pessoas envolvidas na aplicação do exame. 

O gabarito oficial será divulgado em 14 de novembro, juntamente com os cadernos de questões. Já o resultado deverá ser divulgado até o dia 18 de janeiro de 2019.

A nota do Enem pode ser usada para concorrer a vagas no ensino superior público pelo Sistema de Seleção Unificada (Sisu) ou a bolsas em instituições privadas, pelo Programa Universidade para Todos (ProUni) e para participar do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies).

* Com Agência Brasil

Leia também: Confira os memes do Enem no segundo dia de provas pelo Brasil

    Leia tudo sobre: enem
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.