Tamanho do texto

Entretanto, levantamento feito pelo Ministério da Educação mostra que o número é só 0,2% maior do que o de 2015, o que evidencia desaceleração

Censo da Educação Superior é feito anualmente pelo Inep, autarquia que é vinculada ao MEC
Arquivo/Agência Brasil
Censo da Educação Superior é feito anualmente pelo Inep, autarquia que é vinculada ao MEC

Dados do Censo da Educação Superior divulgados nesta quinta-feira (31) pelo MEC (Ministério da Educação) revelam que, no ano passado, 8.052.254 pessoas estavam matriculadas em cursos superiores no País, divididos em 34.366 cursos de graduação ofertados por 2,4 mil instituições de ensino.

Leia também: Mulheres e negros são quem mais buscam diploma do ensino médio pelo Encceja

De acordo com o Censo feito pelo MEC, as 197 universidades existentes no Brasil equivalem a 8,2% do total de instituições de educação superior (IES), mas concentram 53,7% das matrículas em cursos de graduação.

No ano passado, o número de matrículas na educação superior (graduação e sequencial) continuou crescendo. Entretanto, o levantamento mostra que essa tendência desacelerou na comparação com os últimos anos. Entre 2006 e 2016, houve um aumento de 62,8%, com uma média anual de 5% de crescimento. Em relação a 2015, a variação positiva foi de apenas 0,2%.

Leia também: Canadá oferece estágio em pesquisas para alunos de universidades brasileiras

Os cursos de bacharelado mantêm sua predominância na educação superior brasileira, com uma participação de 69% no total das matrículas. Os cursos de licenciatura tiveram o maior crescimento (3,3%) entre os graus acadêmicos em 2016, quando comparado a 2015.

Oportunidades

Em 2016, foram oferecidas mais de 10,6 milhões de vagas em cursos de graduação, sendo 73,8% vagas novas e 26,0%, vagas remanescentes. Das novas oportunidades ofertadas, 33,5% foram preenchidas, enquanto apenas 12,0% das remanescentes foram ocupadas no mesmo período.

Quase 3 milhões de alunos ingressaram em cursos de educação superior de graduação. Desse total, 82,3% em instituições privadas.

Leia também: Mais brasileiros das classes C e D estão se formando no ensino superior

Após uma queda observada em 2015, o número de ingressantes teve um crescimento de 2,2% em 2016. Isso ocorreu porque a modalidade a distância aumentou mais de 20% entre os dois anos, enquanto nos cursos presenciais houve um decréscimo no número de ingressantes de 3,7%.

O levantamento

O Censo da Educação Superior é realizado anualmente pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira ( Inep ). As informações subsidiam a formulação, o monitoramento e a avaliação das políticas públicas, além de ser elemento importante para elaboração de estudos e pesquisas sobre o setor. O levantamento também coleta informações sobre as Instituições de Educação Superior (IES), os cursos de graduação e sequenciais de formação específica e sobre os discentes e docentes vinculados a esses cursos.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.