Tamanho do texto

Programa oferece 77 mil bolsas remanescentes; prazo para inscrições é distinto para alunos não matriculados e estudantes que já estão em atividade

Podem se candidatar ao ProUni alunos que fizeram o ensino médio na rede pública e aqueles que foram bolsistas
USP Imagens
Podem se candidatar ao ProUni alunos que fizeram o ensino médio na rede pública e aqueles que foram bolsistas

Foi aberto nesta segunda-feira (31) o prazo para inscrições na lista de espera do Programa Universidade para Todos (ProUni)  do segundo semestre. Os interessados em concorrer a uma das 77 mil vagas remanescentes do programa têm até o dia 25 deste mês para realizar a inscrição no site oficial do processo seletivo, neste link .

Esse prazo é válido para os estudantes que ainda não estão matriculados na instituição de ensino para a qual deseja obter uma bolsa de estudo. Já o aluno que já está estudando no ensino superior tem até o dia 30 de outubro para se candidatar a uma das vagas remanescentes do  ProUni .

As 77 mil vagas ainda disponíveis para o segundo semestre são aquelas que acabaram não sendo ocupadas durante o processo regular, que ofereceu nessa edição pouco mais de 147 mil bolsas de estudo em 1.076 instituições privadas de ensino superior. 

O Ministério da Educação não divulgou quantas das bolsas remanescentes são integrais e quantas delas são da modalidade parcial (na qual o governo arca com 50% da mensalidade do curso, ficando o restante a cargo do aluno). Das 147 mil bolsas oferecidas no início do processo seletivo, 67 mil eram integrais e as demais 80 mil, parciais.

Leia também: Fies divulga alunos pré-selecionados e abre inscrições para lista de espera

Como se inscrever na lista de espera

No site do programa, o candidato deverá informar o seu CPF e a sua data de nascimento. A partir desses dados, o sistema automaticamente verificará se o aluno participou do Exame Nacional do Ensino Médio ( Enem ), a partir de 2010, e se obteve nota igual ou superior a 450 pontos. Também é obrigatório que o estudante não tenha zerado na prova de redação.

Para concorrer às bolsas integrais, o candidato deve ter renda familiar bruta mensal de até um salário mínimo e meio por pessoa. Para as bolsas parciais de 50%, a renda familiar mensal deve ser de até três salários mínimos por pessoa.

Outra exigência do Ministério da Educação para oferecer a bolsa de estudo é que o aluno tenha cursado o ensino médio completo em escola da rede pública ou em uma instituição da rede particular na condição de bolsista integral do próprio colégio.

Também estão aptos a participar do programa alunos com necessidades especiais e professores efetivos da educação básica da rede pública de ensino (nesse caso, não é necessário comprovar renda).

Leia também: Em parceria com a Funai, UnB abre inscrições para vestibular para indígenas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.