Segundo o ministério, ações visam aumentar o acesso da população à educação; cerca de 3 mil serão beneficiados
Suami Dias/ GOVBA
Segundo o ministério, ações visam aumentar o acesso da população à educação; cerca de 3 mil serão beneficiados

O MEC (Ministério da Educação) anunciou nesta semana que fará a liberação de aproximadamente R$ 3 milhões para garantir o pagamento de bolsas de programas executados pela Secadi (Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão).

Leia também: Enem 2017 terá provas em dois domingos; confira todas as mudanças

O ministério informa que os recursos estão disponíveis desde a última segunda-feira (6) e serão enviados ao FNDE (Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação), autarquia que é vinculada ao MEC e que é responsável por efetuar o repasse aos beneficiários.

Segundo o MEC , do total de recursos liberados, R$ 1,82 milhão será destinado ao Programa Brasil Alfabetizado, o que irá beneficiar cerca de 3 mil pessoas que participaram do ciclo de 2015, quando 168 mil estudantes foram atendidos em 17.445 turmas. O programa envolveu 17.088 alfabetizadores, 2.902 coordenadores e 105 tradutores intérpretes de libras, todos eles com direito ao recebimento de bolsas.

Conforme a pasta, o Brasil Alfabetizado tem como objetivo promover a superação do analfabetismo entre jovens com 15 anos ou mais, além de adultos e idosos, de modo que possa contribuir para a universalização do ensino fundamental no Brasil.

Você viu?

Leia também: Mesmo em crise, USP tem nove cursos entre os 50 melhores de ranking mundial

A concepção do programa reconhece a oferta pública da alfabetização como porta de entrada para a educação e a escolarização das pessoas ao longo de toda a vida. Para subsidiar essas atividades, o MEC apoia técnica e financeiramente os projetos de alfabetização de jovens, adultos e idosos apresentados pelos estados, municípios e pelo Distrito Federal.

Projovem

O restante do valor liberado pela pasta, de R$ 1,21 milhão, será destinado ao custeio de aproximadamente 7 mil bolsistas do Projovem, referente à edição de 2014 do programa. No total, foram 109.600 matrículas no Projovem Urbano e outras 37.385 no Projovem Campo, totalizando 146.985 beneficiários nessa edição.

Leia também: MEC vai verificar as condições de ensino de cursos e instituições mal avaliadas

O Projovem Urbano e o Projovem Campo são voltados para a qualificação e escolarização de jovens com idade entre 18 e 29 anos e que sejam alfabetizados, mas que não ainda completaram o ensino fundamental. São oferecidos pelo ministério cursos de até dois anos de duração para que esses estudantes possam concluir a formação.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários