Tamanho do texto

Aulas deveriam ter começado no último dia 17; no entanto, a universidade disse em nota que "os campi não têm condições básicas de funcionamento"

Universidade atende cerca de 35 mil alunos em cursos de graduação, nas modalidades presencial e de ensino a distância
Thiago Facina/Uerj
Universidade atende cerca de 35 mil alunos em cursos de graduação, nas modalidades presencial e de ensino a distância

Pela quinta vez no ano, a Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj) adiou a volta às aulas. Em crise, a universidade afirmou após uma reunião interna na última sexta-feira (10), que suspenderá o início das atividades acadêmicas até que a pauta da comunidade seja atendida pelo governo do estado. 

O ano letivo deveria ter início nesta segunda-feira (13), mas a universidade  anunciou, em nota no site, que, no momento, não há possibilidade de receber a comunidade acadêmica, pois os campi ainda não têm condições básicas de funcionamento.

Participam dessas reuniões o Fórum de Diretores das Unidades Acadêmicas, os sub-reitores, os diretores dos centros setoriais, o novo secretário de Ciência, Tecnologia, Inovação, Pedro Fernandes, o governador Luiz Fernando Pezão e o Ministério Público. A Uerj tem sido afetada pela crise orçamentária do governo fluminense.

“A reitoria, juntamente com o Fórum de Diretores, reconhece a relevância do novo cenário de negociações que está em curso, pavimentando a construção de novos caminhos, visando a retomada integral das atividades acadêmicas na Uerj”, diz um trecho do comunicado.

Negociações

Na próxima quinta-feira (16), será realizada uma nova reunião do Fórum de Diretores da Uerj, quando avaliarão o andamento das conversas com o governo e, caso a pauta seja atendida, o início das atividades ocorrerá nos dois dias úteis seguintes.

Entre as condições mínimas estabelecidas pela reitoria da Uerj para o retorno estão: calendário de repasses de verbas para a manutenção em geral, com previsão de repasse de cota financeira mensal; um plano de regularização dos pagamentos às empresas terceirizadas (manutenção, infraestrutura, limpeza, segurança, lixo e restaurante universitário) e calendário de pagamento de salários, incluindo o décimo terceiro, bolsas estudantis e demais modalidades.

Inicialmente, as aulas na Uerj deveriam ter começado no dia 17 de janeiro, mas foram adiadas sucessivamente. Com o calendário atrasado, a universidade ainda não começou as atividades do segundo semestre de 2016. 

* Com informações da Agência Brasil.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.