Tamanho do texto

Informações serão utilizadas pelo ministério para aperfeiçoar políticas da pasta, como ProUni, Fies e Capes; cadastros podem ser feitos até abril

Informações serão utilizadas pelo ministério para otimizar as políticas educacionais, como ProUni, Fies e Capes
Reprodução/Flickr
Informações serão utilizadas pelo ministério para otimizar as políticas educacionais, como ProUni, Fies e Capes

O MEC (Ministério da Educação) abriu nesta semana o sistema do Censup (Censo da Educação Superior) 2016. O período para inscrições teve início na última quarta-feira (1º) e termina em abril, sendo que as instituições federais têm até o dia 7 daquele mês para enviar as informações. Para as demais, o prazo vai até o dia 20.

LEIA MAIS: MEC nega invasões de hackers nos sistemas do Enem e do Sisu

O preenchimento dos dados é de responsabilidade do pesquisador institucional, representante oficial de cada instituição de ensino no Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais), autarquia vinculada ao Ministério da Educação e que é responsável pelo Censo. Cabe ao pesquisador institucional responder aos questionários eletrônicos do sistema do Censo, verificar e corrigir possíveis inconsistências e responder a eventuais questionamentos.

O material reúne informações sobre as instituições de ensino superior , seus cursos de graduação presencial ou a distância, cursos sequenciais, vagas oferecidas, inscrições, matrículas, ingressantes e concluintes e informações sobre docentes nas diferentes formas de organização acadêmica e categoria administrativa.

LEIA MAIS: A busca pelo recomeço: conheça a história de um preso que fez o Enem

Após a divulgação oficial dos dados consolidados do Censo , as informações prestadas pelas instituições educacionais passam a figurar como estatística oficial do ensino superior no Brasil. Não será possível fazer inclusão, exclusão ou alteração nesses dados. O representante legal da instituição é responsável pela exatidão e fidedignidade das informações passadas ao Inep.

Diretrizes

Os resultados do levantamento são utilizados como diretrizes para o estabelecimento de políticas educacionais. O MEC informa que O Censo da Educação Superior é pré-requisito para a expedição de atos regulatórios e participação das instituições de ensino em iniciativas da pasta, como o ProUni (Programa Universidade para Todos, o Fies (Fundo de Financiamento Estudantil) e bolsas da Capes (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior).

Como forma de aprimorar a qualidade das análises realizadas, o Censo traz as informações de alunos e profissionais individualmente. Ou seja, permite que as políticas do setor e seus participantes sejam acompanhados de maneira minuciosa. O Censo ainda subsidia o planejamento e a avaliação de políticas públicas, além de contribuir no cálculo de indicadores de qualidade como o Cálculo Preliminar de Curso (CPC) e Índice Geral de Cursos (IGC).

LEIA MAIS: Fies será reformulado e terá mais vagas em 2017, diz ministro da Educação

Além do Resumo Técnico as informações obtidas pelo ministério no Censo são divulgadas pelo InepData em forma de Sinopse Estatísticas e Microdados, possibilitando transparência dos dados coletados a cada edição do levantamento e acessibilidade à população.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.