Sofro violência doméstica. O que faço?
Reprodução: Reclamar adianta
Sofro violência doméstica. O que faço?

Sofro abusos verbais por parte do meu parceiro. Ele não me deixa sair com meus amigos e me xinga usando palavras de baixo calão. Se eu procurar ajuda, em alguma delegacia, tenho direito a proteção? O que posso fazer para sair dessa situação? (Anônima, Jacarepaguá)

É fundamental ir à Delegacia de Atendimento à Mulher (DEAM), especializada em acolher vítimas de violência doméstica para relatar os fatos que sejam entendidos como crimes pela autoridade policial. A orientação é da advogada especialista em Direito Constitucional e violência contra mulher, Adriana Ramos.
No Estado do Rio de Janeiro, há 14 DEAMs, sendo duas na capital, no Centro (Rua Visconde do Rio Branco, 12 – Centro) e em Jacarepaguá (Rua Henriqueta, 197 – Tanque). Caso a vítima não seja da cidade do Rio, a orientação é que se consulte o site da Policia Civil para localizar o endereço mais próximo http://www.policiacivilrj.net.br/dgpam.php .
"Caso não tenha uma DEAM próximo à sua residência, pode-se buscar qualquer delegacia para registrar o relato das agressões verbais e das demais violências que vem sofrendo", diz Adriana Ramos.
"Após o relato, poderá ser solicitado que as autoridades policiais encaminhem um pedido de medida protetiva de urgência ao Juizado de Violência Doméstica que, sendo autorizada, o companheiro deverá sair de casa e ser proibido de chegar perto da companheira, da sua casa e do seu trabalho”, orienta o advogado Átila Nunes, do serviço www.reclamaradianta.com.br. O atendimento é gratuito pelo e-mail [email protected] ou pelo WhatsApp (21) 993289328.

Casos resolvidos: Marcílio Gouvêa (TIM) , Daniel Afonso (Mastescard), Samara Braga (Águas do Rio)

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários