Estou sendo discriminado por ser gordo!
Reprodução: Reclamar adianta
Estou sendo discriminado por ser gordo!

Trabalho numa loja de roupas que veste manequim 36/38. Eu visto 46 e, por isso, me pediram para emagrecer. Essa atitude é correta? Eles podem me pedir isso? (Anônimo)

Para início de conversa, a empresa não pode exigir que o funcionário emagreça para se enquadrar nos padrões estabelecidos pela loja. Segundo a advogada Adriana Ramos, dependendo de como essa abordagem tenha sido feita, é considerado assédio moral.

A especialista ressalta que as empresas precisam estar atentas ao tratamento que oferecem aos seus colaboradores e aos seus clientes, porque, em uma sociedade cada vez mais consciente da importância da inclusão e da diversidade, apostar em um padrão único de beleza ou de comportamento pode gerar sérios problemas para a marca. “Consumidores querem ter produtos de empresas que respeitam os valores da dignidade da pessoa humana e da igualdade. Descumprir determinadas regras jurídicas pode gerar processos e indenizações. A adequação aos valores de inclusão está incluída nas normas de Compliance Antidiscriminatório”, explica Adriana Ramos.

O assédio moral, como parece ser o caso relatado, é a exposição de pessoas a situações humilhantes e constrangedoras no ambiente de trabalho, de forma repetitiva e prolongada, que traz danos à dignidade e à integridade do indivíduo, colocando a sua saúde em risco e prejudicando o ambiente de trabalho, salienta o advogado Átila Nunes, do serviço www reclamar adianta com br. O atendimento é gratuito pelo e-mail atilanunes @ reclamar adianta . com . br ou pelo WhatsApp (21) 993289328

Casos Resolvidos: Joana Terra (Banco do Brasil) Ana Oliveira (Casa e Vídeo) Raquel Assis (Assaí) Marcos Souza (Banco Itaú)

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários