Congresso Nacional
Divulgação/Câmara dos Deputados/Pablo Valadares
Congresso Nacional

O trecho final da coluna Um Olhar Sobre o Rio, no domingo passado, propunha que neste 7 de Setembro, ao invés de se aglomerarem em eventos separados para acentuar suas divergências, já de olho nas eleições de 2022, os brasileiros deveriam se unir e cobrar, juntos, providências que beneficiassem a todos os cidadãos. Todos lucrariam, quaisquer que fossem suas convicções políticas, caso se unissem para “cobrar mais investimentos, mais rigor nos gastos públicos, além de medidas mais eficazes para vencer a pandemia e por o país para funcionar”.

É evidente que ninguém aqui é ingênuo a ponto de imaginar que isso aconteceria agora, no 199º aniversário da Independência. A pergunta é: por que não levar essa possibilidade a sério daqui por diante? Todo brasileiro tem o direito de escolher como e em nome de que causa deseja se manifestar. Falar em união, em meio ao clima de divisão que vem sendo fomentando pelos que lucram com ele, tem a intenção de deixar claro que existem outras bandeiras que merecem ser empunhadas pelo cidadão.

Falar em Independência hoje, mais do que comemorar a emancipação política do país, é festejar o direito que os brasileiros conquistaram de expor suas opiniões publicamente e de defendê-las nos espaços públicos — respeitados, é claro, os limites que a própria democracia estabelece para esse tipo de manifestação. Quanto mais inclusivas forem essas opiniões e quanto mais essas bandeiras contribuírem para melhorar a vida de todos os brasileiros, mais terá valido a pena lutar pelo direito de empunhá-las.

Castração animal
Depois de cobranças diárias do presidente da Comissão de Direito dos Animais da Câmara de Vereadores do Rio, Luiz Ramos Filho, o instituto municipal Jorge Vaistman volta a fazer cirurgias de castração e eletivas nos animais. "A castração é fundamental para o controle populacional dos animais. E o Jorge Vaistman é o único instituto municipal que oferece serviços de medicina veterinária a população de baixa renda", disse o vereador.

Defesa criminal unida
Defensoria Pública do Rio terá nova sede da Coordenadoria de Defesa Criminal, no Centro da capital. Projeto vai unificar os órgãos ligados à defesa criminal, como a VEP, NUCAP, varas e câmaras criminais, bem como será desenvolvido espaços para melhor atuação da diretoria de pesquisa, engenharia legal, DNA, perícia, CRC, entre outros. A inauguração está prevista para abril de 2022.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários