Átila Nunes (MDB)
Thiago Lontra/Alerj
Átila Nunes (MDB)

A coluna já tinha alertado para a necessidade de se redobrar a segurança para evitar roubos de vacinas. Há dois dias, de madrugada, 50 vacinas foram furtadas do Centro Municipal de Saúde Professor Carlos Cruz Lima, em Colégio, na Zona Norte do Rio. A Polícia suspeita de que há fortes indícios de um mercado paralelo embrionário de vacinas contra a covid-19. O deputado Átila Nunes (PMDB) apresentou em fevereiro um projeto de lei em regime de urgência determinando policiamento em todos os postos de saúde do Estado visando a guarda dos estoques das vacinas.

Perigo à vista

As vacinas podem valer muito dinheiro num mercado paralelo, dada a dificuldade de consegui-las. Existem pessoas que ainda demorarão a ser vacinadas, que são capazes de pagar qualquer dinheiro por um imunizante. Nunes alerta que "os postos de vacinação são absolutamente desguarnecidos, sem qualquer policiamento, ficando os estoques sob a supervisão de auxiliares administrativos, que não têm qualquer chance de reagir a eventuais tentativas de assaltos". O deputado não se conforma, tendo enviado há meses para o governador Cláudio Castro o alerta, enquanto seu projeto tramita na Alerj em regime de urgência. Nesse ínterim, o governador pode determinar que cada posto de vacinação seja guardado por um policial militar e por rondas de viaturas. Um imunizante desses valerá mais que algumas drogas para os traficantes. No projeto que aguarda aprovação um dos itens é explícito: "O quantitativo das vacinas destinadas a cada unidade de saúde deverá ser verificado no ato da entrega pelo responsável da própria unidade com a presença do policial de plantão para garantir o controle de entrega".

Dispensa das restrições sanitárias

Projeto de lei do deputado estadual Noel de Carvalho (PSDB) quer dispensar as empresas de cumprirem as medidas sanitárias restritivas de funcionamento adotadas em combate à pandemia, caso elas consigam adquirir as vacinas contra a covid-19 e imunizar todo o seu corpo de funcionários. Proposta será discutida hoje (6) na Alerj.

Educação na pandemia

O deputado estadual Waldeck Carneiro (PT) protocolou projeto de lei para "proibir atividades educacionais presenciais em todos os municípios fluminenses que estiverem em bandeira vermelha ou roxa durante a pandemia, com regras e critérios igualmente aplicáveis no tocante à proteção à saúde e à vida! Não é hora de abrir escolas!"

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários