Ex-deputado Luiz Carlos Ramos
Assessoria Luiz Carlos Ramos
Ex-deputado Luiz Carlos Ramos

Há muito tempo que há um curto circuito entre o que os políticos prometem e os anseios da sociedade que esperam deles resultados mais efetivos. Mas quando a pandemia chega, se vê que todos nós estamos no mesmo barco. Alguns sucumbiram diante da doença e não conseguiram vencê-la como os casos do senador Aroldo de Oliveira (PSD), 83 anos, que morreu em outubro de 2020. Também foram a óbito o deputado estadual Gil Vianna (PSL-RJ), em maio de 2020, José Castro, prefeito eleito de Conceição de Macabu, 70 anos, em dezembro de 2020 (o vice eleito assumiu) e Farid Abrão (PTB), prefeito de Nilópolis, em dezembro de 2020. Também existem boas notícias, depois de sofrimento e dor. Veja o caso do ex-deputado federal Luiz Carlos Ramos, que recebeu alta do hospital Copa D’or, onde estava internado, vítima de covid, havia uma semana. Luiz Carlos Ramos, de 69 anos, chegou à unidade de saúde com 50% dos pulmões comprometidos, sem conseguir respirar.

Benção

"É uma grande benção ter meu pai de volta na sexta-feira da paixão. Ele ressuscitou. Agora vamos continuar rezando por todas as outras vítimas dessa doença e por seus amigos e familiares que também sofrem”, disse o vereador Luiz Ramos Filho (PMN), primogênito do ex-deputado. “Eu renasci. Não tenho medo da morte, mas o que me apavorava era ver meus filhos, amigos e minha mulher sofrendo tanto. Estou pronto pra outra. Agora é ajudar os que estão passando por esse sofrimento. E assim que for possível, vamos comemorar a vida”, diz Ramos pai. O vereador Luiz Ramos Filho foi ao hospital apanhar o pai e o levou para sua casa, em Campo Grande. “Ele está bem e doido para poder voltar a trabalhar”. Na grande maioria dos casos, os pacientes que têm influência, são formadores de opinião, após viverem o limite entre vida e morte, quando conseguem se salvar, se transformam em pessoas mais sensíveis e dispostas a ajudar o próximo.

Queda na arrecadação do estado

A CPI do Petróleo e Gás, na Alerj, define hoje (5) seu plano de trabalho. A Comissão vai investigar a queda na arrecadação do estado do Rio de Janeiro referente às receitas compensatórias da exploração de Petróleo e Gás. "A Alerj tem o dever de acompanhar e investigar as arrecadações, bem como suas respectivas destinações. O Rio é um estado em Recuperação Fiscal, que enfrenta uma grave crise econômica em decorrência também da pandemia, e isso faz o trabalho desta CPI ainda mais importante", disse o deputado Luiz Paulo (Cidadania), presidente da Comissão.

Emprego no Açu

A Açu Petróleo, joint venture entre a Prumo Logística e a alemã Oiltanking, pretende iniciar ainda neste ano a construção, no Porto do Açu, Norte Fluminense, do primeiro parque privado de tancagem de petróleo do Brasil. Com investimento privado estimado em R$ 2,5 bilhões, o empreendimento irá gerar 2 mil empregos, diretos e indiretos, durante a fase de construção. A previsão é que a obra seja concluída e entre em operação no final de 2023.

Esclarecimento da Seop

"A coordenadoria de feiras foi extinta justamente para reduzir despesas visto que o controle urbano tem estrutura de fiscalização, processamento de multa, parte administrativa que a antiga CFE não tinha. Nesse caso ou se criava a estrutura, aumentando custos, ou transformaríamos em gerência, reduzindo inclusive despesa com um coordenador. Por fim, tudo ficou resumido a uma coordenação e não duas".

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários