Rogério Figueredo
Reginaldo Pimenta / Agência O Dia
Rogério Figueredo

O deputado estadual Alexandre Knoploch (PSL) está inconformado com a decisão do secretário da Polícia Militar, coronel Rogério Figueredo, de mudar de posto o comandante do 2º CPA (Comando de Policiamento de Área/Zonas Norte e Oeste), coronel Marcelo Malheiros; como também a transferência do ex-comandante do 20º BPM (Mesquita),Coronel Busnello, para Barra do Piraí, no interior fluminense. O parlamentar ameaçou abrir uma CPI, que para muitos "já nasce morta".

Resposta da PM

"A Assessoria de Imprensa da Secretaria de Estado de Polícia Militar do Rio de Janeiro esclarece que as mudanças de comando fazem parte da rotina da Corporação. A versão apresentada para contestar as duas substituições citadas não corresponde com os fatos. Primeiro, porque não há qualquer relação entre ambas - a ida do Coronel Busnello para o 10º BPM ocorreu no ano passado, enquanto a substituição do Coronel Malheiros foi efetuada recentemente. E, segundo, porque o cumprimento de metas tem sido verificado na atual gestão da SEPM em praticamente todas as Áreas Integradas de Segurança Pública (AISPs).

Vale ressaltar que todas as ações administrativas do Secretário da SEPM, Rogério Figueredo de Lacerda, seja na troca de comandos, seja na criação de novos programas e estratégias de policiamento, visam à melhoria do desempenho da Corporação e, consequentemente, à redução dos índices criminais. A cada mês, os números do Instituto de Segurança Pública (ISP) revelam quedas contínuas e expressivas dos indicadores mais impactantes, como homicídios dolosos e roubos de rua, de carga e de veículos. Os crimes contra a vida neste mês de fevereiro, por exemplo, registraram os menores números desde 1991, quando teve início a série histórica com a metodologia atual", diz a nota da PM.

Para comprar vacinas

Neste momento de crise, a vereadora Teresa Bergher (Cidadania) sugere que a prefeitura do Rio utilize os recursos do FECC (Fundo Emergencial de Combate ao Coronavírus), aprovado pela Câmara. O fundo arrecadou R$ 2,3 milhões em 2020, mas até agora nem um centavo foi utilizado. Como o fundo só pode ser usado na saúde, a vereadora, que é aliada de Paes, lembra ao prefeito que estes recursos podem ajudar na compra de vacinas.

Imunização nos municípios

Preocupado com a imunização, o presidente da Alerj, André Ceciliano sugeriu aos prefeitos buscarem consórcios para a compra das vacinas como fizeram os municípios de Niterói e Maricá, mas antecipou que a Casa está disposta a ajudar na solução de possíveis entraves.

Semana de atenção ao TDAH

Presidente da Comissão de Defesa dos Direitos da Pessoa com Deficiência da Câmara Municipal, o vereador Marcio Ribeiro (Avante) propõe Projeto de Lei para criação de semana dedicada ao Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade (TDAH). "Estamos falando de um distúrbio que afeta 6% das crianças e 6,9% no caso dos jovens no Brasil, segundo dados da OMS. Por isso é importante que o diagnóstico e tratamento seja feito de forma precoce", disse.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários