Vacinação lenta contra covid-19 agrava mais ainda crise política
Divulgação
Vacinação lenta contra covid-19 agrava mais ainda crise política

O agravamento da crise política vinda de Brasília mergulha os estados num arriscado compasso de espera em um momento difícil de crise sanitária e econômica, por conta da pandemia, que já matou mais de 315 mil brasileiros. A política fluminense não está reagindo diferente do que já acontece em outros estados da federação. Para complicar, os índices de confiança do consumidor na economia brasileira nos próximos três meses continuam em queda no mês de março.

De acordo com pesquisa realizada pelo Instituto Fecomércio de Pesquisas e Análises (IFec RJ), apenas 17,6% dos consumidores entrevistados se mostraram confiantes, índice inferior ao constatado em fevereiro (29,3%). O indicador referente aos que estão pessimistas também subiu, de 24,5% para 29,3%, assim como os muito pessimistas: de 18,8% para 29,8%. O percentual de consumidores que acreditam que a economia não sofrerá alterações diminuiu de 21% para 17%. Os muito confiantes continuam somando 6,4% do percentual total de entrevistados.

Os motivos

Por mais que os deputados da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro tentem aprovar medidas compensatórias, o que se observa é que a nacionalização da crise desvia a atenção da solução dos problemas regionais e, com isso, ficamos distantes da eficácia de ações reparadoras. O aumento dos preços do gêneros de primeira necessidade, a volta da inflação, a paralisia da agenda econômica, a demora da chegada de novas doses de vacina e o aumento de mortes por Covid-19 dão o ritmo do que enfrentaremos pela frente. O ideal é que o governador em exercício Cláudio Castro e o prefeito Eduardo Paes voltem a firmar uma agenda comum em favor do povo do Rio. Só a união amenizará a estrada de dificuldades diante de nós.

Vereadores e o caso de polícia

Dr Jairinho Vereador Rio
Reprodução/CMRJ
Dr Jairinho Vereador Rio

Há um movimento de vereadores da Câmara Municipal do Rio de Janeiro que querem que o Conselho de Ética afaste o vereador Dr. Jairinho (Solidariedade), até que a morte do menino Henry Borel, de 4 anos, seja esclarecida. Os parlamentares acham que o crime está sendo muito prejudicial à imagem da Câmara. Dr. Jairinho era padrasto do menino.

Reforço na Alerj

Ex-presidente da Agência Nacional do Petróleo, Magda Chambriard chega à Alerj para reforçar a equipe técnica da Assessoria Fiscal e contribuir com propostas de adensamento econômico no Rio, principalmente no sistema produtivo do petróleo e gás. Sua primeira missão no cargo vai ser assessorar a recém-criada CPI que vai apurar a queda na arrecadação das receitas compensatórias da exploração de petróleo e gás.

Semana de atenção ao TDAH

Presidente da Comissão de Defesa dos Direitos da Pessoa com Deficiência da Câmara Municipal, o vereador Marcio Ribeiro (Avante) propõe Projeto de Lei para criação de semana dedicada ao Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade (TDAH). "Estamos falando de um distúrbio que afeta 6% das crianças e 6,9% no caso dos jovens no Brasil, segundo dados da OMS. Por isso é importante que o diagnóstico e tratamento seja feito de forma precoce", disse.

Novos espaços no Palácio

As três galerias do plenário Barbosa Lima Sobrinho, no Palácio Tiradentes, podem ser nomeadas em homenagem aos ex-deputados Gil Vianna, João Peixoto e Farid Abraão - que faleceram após contrair o coronavírus. A homenagem é proposta no projeto de resolução 513/21, das deputadas Lucinha (PSDB) e Franciane Motta (MDB).

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários