Calendário fake de vacinação circulou nas redes sociais; Prefeitura do Rio desmentiu
Reprodução
Calendário fake de vacinação circulou nas redes sociais; Prefeitura do Rio desmentiu

Ao mesmo tempo que há uma luta incansável dos profissionais de saúde em tentar salvar vidas, uma minoria atrapalha quem trabalha. Estão circulando postagens com fake news, para causar confusão. Numa delas, o calendário de vacinação exibido é falso e confunde quem tem menos de 67 anos, dando a impressão que sua imunização foi antecipada. A Secretaria Municipal de Saúde do Rio já se apressou a desmascarar o golpe. Numa outra veiculação, um vídeo em que banhistas cercam, agridem e perseguem guardas municipais induz o espectador a pensar estar diante de algo atual. As cenas teriam sido registradas no último fim de semana na praia do Leblon. Mentira. O vídeo é de 2012.

Medicamentos

Outras postagens trazem pessoas dizendo que se salvaram fazendo nebulização com medicamentos X, Y e Z. O conteúdo foi desmentido por médicos que afirmam que poções mágicas não existem e que o uso inadequado de remédios sem a prescrição de um profissional de saúde só ajudam a agravar a situação do paciente. O consagrado neurocirurgião Paulo Niemeyer sintetizou bem ao jornal O Dia a única saída possível para a crise sanitária que vivemos: "Enquanto a vacina não chega em número suficiente, só nos resta o isolamento social, uso disciplinado de máscaras e procurar manter as atividades profissionais com todos esses cuidados. E, naturalmente, o auxílio emergencial do governo é fundamental para evitar um drama social ainda maior".

Recursos da Câmara

A Câmara Municipal do Rio doou R$ 30 milhões à prefeitura que serão usados no programa auxílio carioca. Ex-presidente do legislativo, o vereador Jorge Felippe lembrou que desde 2014 a Câmara economizou R$ 595 milhões aplicados em ações diretas para a população carioca. Como prefeito interino no final de 2020, usou os recursos doados pela Câmara para saúde, pagar servidores e cartão alimentação dos estudantes.

Bosque da memória

Cinquenta mil mudas de espécies nativas da Mata Atlântica serão plantadas junto à Reserva Ecológica de Guapiaçu, em Cachoeiras de Macacu, no Bosque da Memória, em homenagem às vítimas da Covid-19. Entre os homenageados, Leda Viana, viúva de Cibilis Viana, que foi secretário de Governo e de Finanças do governador Leonel Brizola, que morreu em maio do ano passado.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários