Vacinação de idosos no Rio de Janeiro
Divulgação / PMBR
Vacinação de idosos no Rio de Janeiro

Há poucos dias, ao se referir ao combate à pandemia da covid-19, o prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, foi extremamente feliz ao dizer que "nossa cidade não é uma ilha isolada do Brasil". É verdade. Mesmo assim, temos nossas prioridades, que, além da vacinação urgente, precisamos sanear as contas tanto da capital fluminense como do estado. Medidas têm sido tomadas neste sentido pelo governador em exercício, Cláudio Castro, e pelo seu secretário de Fazenda, Guilherme Mercês. Na capital, Paes aguarda a chegada de mais doses de imunizantes para continuar a vacinação.

Isto está aqui posto em razão das consequências que possam advir da decisão do ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal, de anular todos os julgamentos do ex-presidente Lula, porque foram em Curitiba e não em Brasília. A preocupação de todos é que a politização deste episódio possa antecipar, indevidamente, a disputa que só se dará em 2022 e, com isso, deixar em segundo plano a vacinação da população para conter a pandemia do novo coronavírus, investimentos em saúde e educação, controle de gastos, investimentos para recuperar a economia e geração de empregos para os fluminenses que tanto sofrem, a exemplo dos brasileiros. A elite política do Rio não pode, sob nenhuma circunstância, se deixar seduzir por um debate agora que pode melhor ser feito mais adiante. O enfrentamento dos problemas do Rio em primeiro lugar, é apenas o que se pede.

A decisão de Fachin

A advogada Cheryl Berno, que tem sua base de atuação no Rio de Janeiro, disse que "causa estranheza, porque foi dada com três anos de atraso, depois das eleições. O julgamento deve se dar conforme as regras do jogo, não por exceção, todos já sabiam desde o início".

Cafezinho caro

A vereadora Teresa Bergher (Cidadania), que fiscaliza os gastos do município do Rio com uma lupa, estranhou o extrato publicado no Diário Oficial de segunda-feira: R$ 45,7 mil para as despesas do ano com café da manhã da Rioluz. A vereadora vai encaminhar requerimento de informação à prefeitura para saber os ingredientes deste café indigesto.

Vacina e isenção de imposto

A Alerj discute hoje (10) projeto de lei do deputado André Corrêa (DEM) que concede isenção do imposto sobre circulação de mercadorias e serviços (ICMS) na operação de importação de vacina para combate à pandemia da covid-19.

Intervenção no BRT

O deputado Dionísio Lins (Progressista), presidente da Comissão de Transportes da Alerj, vai criar força-tarefa para acompanhar de perto a intervenção da prefeitura do Rio para melhorar as condições de uso do BRT e as mudanças que serão feitas. "Já tivemos uma intervenção no governo anterior que durou seis meses e ao final resultou apenas em um relatório mostrando o que a população já sabia", disse.

Cargos comissionados

Em outra edição registramos aqui a média de quantidade de cargos comissionados e quanto de vencimento recebe cada contratado. Na Câmara do Rio, são 20 comissionados por gabinete. E quem ocupa o cargo mais baixo embolsa R$ 6 mil. Cada cargo tem direito a benefícios e auxílios.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários