Daniel Silveira (PSL-RJ) deve ser expulso do partido
Reprodução
Daniel Silveira (PSL-RJ) deve ser expulso do partido

A rápida providência do presidente nacional do PSL, deputado federal Luciano Bivar (PE), no sentido de "tomar todas as medidas jurídicas cabíveis" para a expulsão do deputado Daniel Silveira (RJ), surpreendeu os bolsonaristas abrigados na legenda no Rio de Janeiro. Mesmo assim, com raras exceções, eles se esconderam da reportagem e evitaram defender o correligionário. Além da "indignação" de Bivar, pela forma chula como Silveira tratou o ministro Edson Fachin e outros integrantes do STF, a contrariedade do vice-presidente nacional do PSL, deputado Júnior Bozzella (SP), era notada por todos à sua volta. Bozzella foi o primeiro a pedir ontem (17) à Executiva do partido a expulsão de Daniel. O que se comenta em Brasília é que o PSL não pode "acobertar" alguém que se vangloria de ter 90 passagens policiais causadas por transtornos a terceiros.

PSL do Rio

O que se comenta nos bastidores do PSL fluminense é que Daniel Silveira foi presunçoso ao apostar que se tornaria um "mártir por enfrentar sozinho o STF. "Ele acreditou que isto pavimentaria sua candidatura à reeleição em 2022", disse uma pessoa próxima. Na avaliação de amigos, Silveira sentiu que precisava se libertar das redes sociais e ganhar as ruas. Esta conclusão nasceu logo depois de fechadas as urnas em 2020. Ele avaliou que, nas últimas eleições municipais, o cidadão se desencantou do discurso radical de direita e optou por políticos identificados com o centro. Procurado, o deputado Rodrigo Amorim, fiel a Daniel, evitou fazer juízo sobre a prisão. "O Daniel é meu amigo pessoal. Quando ele foi preso, ele estava falando comigo ao telefone. Em nome dessa amizade, ele sempre poderá contar comigo", disse. Silveira e Amorim ficaram nacionalmente famosos depois de terem quebrado a placa feita em homenagem à vereadora Marielle Franco, morta no início de 2018, ano em que o caso ocorreu.

Prisão "ilegal e infantil"

O deputado Alexandre Knoploch, do PSL, comentou a prisão de Daniel Silveira. "Achei que os dois lados se excederam. Acho temerário falar de agressões a qualquer autoridade, existem meios apropriados para contestações de suas decisões. Mas achei ilegal e até infantil a prisão. Primeiro que o flagrante delito não se executa com mandado e sim na simples contestação do crime. Segundo, que existem meios apropriados para contestação da fala do deputado. O que o ministro conseguiu foi gerar mais instabilidade na sociedade e entre os poderes".

Bolsonaro e o Analista de Bagé

Após Bolsonaro dizer que tem "cheque de R$ 20 bilhões" para comprar vacina, o deputado Carlos Minc comenta: "fascínio por cheque, $$ vivo, armas e cloroquina. Este nem o analista de Bagé conserta".

O bicho tá pegando

O secretário municipal de Proteção Animal, Vinícius Cordeiro, está sendo pressionado por entidades e sociedade civil a dar explicações sobre a razão de não sair o pedido de contratação de 10 veterinários feito à Secretaria de Governo, sob o comando do secretário Marcelo Calero. Ele se defende. "Eu já enviei a solicitação há muito tempo, mas ainda não tenho resposta", tem dito. Se as contratações não forem autorizadas, devem parar de funcionar 6 dos 8 postos de atendimento aos pets.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários