Vereador Márcio Santos (PTB) visita escola municipal Polônia, na Zona Oeste do Rio
Divulgação
Vereador Márcio Santos (PTB) visita escola municipal Polônia, na Zona Oeste do Rio

Um dos debates mais intensos no Rio de Janeiro e no Brasil é se a volta às aulas agora é a melhor decisão a ser tomada. Especialistas em Educação dizem que, se todos os cuidados sanitários forem adotados, o retorno pode ser feito com responsabilidade. Os professores, por sua vez, entendem que a autorização para o reinício do ano letivo deveria ser dado somente após a vacinação. A Comissão de Representação para Acompanhamento das Ações de Retorno às Aulas Presenciais na Rede Municipal de Ensino da Câmara do Rio de Janeiro começou nesta quarta as vistorias nas escolas. A primeira unidade a receber a visita do vereador Márcio Santos (PTB), presidente da comissão, foi a Escola Municipal Polônia, em Magalhães Bastos, Zona Oeste do Rio.

Preparação

Segundo o parlamentar, as visitas são para analisar as estruturas das escolas e as condições para receberem os alunos no próximo dia 24, data definida para o retorno das aulas presenciais pela Secretaria Municipal de Educação. "A Escola Municipal Polônia, nossa primeira vistoriada, foi fundada há 61 anos e nunca passou por nenhuma grande reforma, além dos reparos feitos pela atual diretoria. Há infiltração e vazamento de água em diversas salas de aula, com uma já parcialmente interditada, porque parte do teto caiu; algumas janelas são travadas, não abrem, impedindo a circulação de ar, além de pequenos reparos que precisam ser feitos", disse Santos.

Para o vereador, o relatório vai ajudar a encontrar soluções para os problemas. "Vamos tornar o documento público para conhecimento dos órgãos competentes e cobrar as providências".

A vistoria foi acompanhada pelos vereadores Waldir Brazão e Luciano Vieira (Avante) e Victor Hugo (MDB), integrantes da Comissão.

Articulação nos bastidores

Depois da vitória de Arthur Lyra (PP-AL), deputados do PP do Rio trabalham para conseguir uma cadeira na Câmara Federal para Júlio Lopes. A possível indicação do deputado Juninho do Pneu para substituir Bruno Kazuhiro, ambos do DEM-RJ, na Secretaria de Infraestrutura e Obras, coloca combustível na articulação.

O que fazer no Carnaval

Pesquisa do Instituto Fecomércio de Pesquisas e Análises (IFec RJ) concluiu que apenas 10,6% dos entrevistados pretendem viajar no período de Carnaval. E 39,1% dos fluminenses ficarão em casa, 21,9% vão trabalhar, 11,1% ainda não decidiram o que irão fazer nestas datas e 10,6% pretendem realizar alguma atividade de lazer. Apenas 4,8% usarão o tempo livre para estudar e 1,9% escolherão outras atividades.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários