Eduardo Paes
Estefan Radovicz / Agência O Dia
Eduardo Paes ganhou a disputa com Marcelo Crivella para a Prefeitura do Rio

A disputa do segundo turno no Recife e no Rio de Janeiro foram as mais agressivas do Brasil. As feridas deixadas pelo embate de Eduardo Paes e Marcelo Crivella na cidade maravilhosa precisarão de tempo para serem curadas. Há um temor entre os que cercam o prefeito eleito que Crivella possa criar embaraços para a transição. César Maia, que já comandou a Prefeitura do Rio por três vezes, pediu aos seus colegas vereadores que fiquem muito atentos a tudo o que for enviado à Câmara. O vereador mais votado do Rio, Tarcísio Motta, do PSOL, fez um alerta: "Essa é minha maior preocupação nesse momento. Além de péssimo gestor, Crivella se mostrou capaz de manobras e mentiras absurdas para tentar reverter o resultado negativo das urnas. O que será capaz de fazer agora? Vamos precisar mais do que nunca da Câmara e do TCM fiscalizando mais que nunca e da imprensa informando a população o tempo todo. A vida dos cariocas está acima de qualquer disputa política."

ARAPUCAS E MANOBRAS

A preocupação do QG de Paes são duas. A primeira é que Crivella não pague o 13º salário e jogue a bomba no colo do prefeito do DEM. "Isso é um pepinaço, porque assumiria uma Prefeitura em pé de guerra, com funcionários, não duvido nada, que invada o prédio da Prefeitura, daí para cima", disse uma fonte. A segunda é que, "para pagar o 13º, o que o Crivella vai ter que fazer? Como ele não tem dinheiro, ele simplesmente vai suspender o pagamento de todos os fornecedores. Ele não tem outra saída. Então, significa que todas as áreas - saúde, educação, transportes, obras -, que recebem vão parar de receber, inclusive aqueles da chamada 'máquina', o dia a dia, luz, gás, telefone, tudo. Isso para ele honrar o pagamento do 13º, porque ele sair sem pagar o 13º seria realmente o fundo do poço para o Crivella. Ou se paga o 13º e se paralisa totalmente a máquina, ou paga os fornecedores".

Para evitar que este cenário catastrófico se instale, a ordem é que vereadores pró-Paes já comecem a fazer suas conexões para desarmar a eventual manobra de bolsonaristas e partidários de Crivella que não se conformam da lavada que tomaram nas urnas.

Fé antes do impeachment

Batismo Witzel
Leitor de O Dia
Batismo de Wilson Witzel

A família Witzel sempre se preocupou com a espiritualidade. Quando ocupava os palácios Guanabara e Laranjeiras, muito se comentava que a primeira-dama Helena tinha o hábito de se consultar com uma espírita antes da tomada de decisão importante. No último domingo, o governador afastado Witzel foi batizado em uma igreja evangélica na zona norte do Rio de Janeiro e participou do culto.

Razões da derrota

A derrota de Dimas Gadelha, do PT, em São Gonçalo, foi um balde de água fria no grupo petista vitorioso em Maricá. As explicações começam a surgir. "Eleição baseada em fake news, farta divulgação de mentiras. Um determinado jornal foi distribuído gratuitamente a semana inteira com ataques baixos contra nós. Na véspera, um outro jornal agiu da mesma maneira desleal. Cidade conservadora, maioria evangélica", desabafou um petista.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários