Crivella
Reginaldo Pimenta/Agência O Globo
Estratégia de Marcelo Crivella tem dado errado e prefeito perde votos

O desespero bateu na porta do candidato do Republicanos à Prefeitura do Rio, Marcelo Crivella, depois de assistir ao avanço de ex-prefeito Eduardo Paes, do DEM, em todas as pesquisas de opinião realizadas neste segundo turno. Em última cartada, a avaliação do bispo licenciado da Universal do Reino de Deus é que o apoio do presidente Jair Bolsonaro irá reverter a derrota iminente. Bolsonaro gravou um vídeo de apoio à Crivella. O presidente gravou um vídeo hipotecando sua credibilidade.

GUINADA PARA A EXTREMA DIREITA

A estratégia do atual prefeito está baseada em duas frentes. A primeira é difundir vídeos polêmicos e considerados por adversários de conteúdo "criminoso". Num deles, o prefeito e o deputado Otoni de Paula dizem que o PSOL irá assumir a secretaria de Educação e que Eduardo Paes levará pedofilia para as escolas. "O atual prefeito será processado", disse o deputado Marcelo Freixo. Otoni é investigado em inquérito no STF denunciado pela Procuradoria-Geral da República pelos crimes de difamação, injúria e coação por ter xingado o ministro do STF Alexandre de Moraes, relator do inquérito. Na semana passada, Crivella xingou o governador de São Paulo, João Doria, de "viado e vagabundo" e depois pediu desculpas. Mesmo assim, é nítido que a estratégia está dando errado. Crivella só perde votos.

Mágoa pós-campanha

Brizolistas tradicionais não engoliram o fato da deputada Martha Rocha (PDT) ter substituído a "rosa socialista", símbolo de velhas lutas, por um distintivo policial para que ela pudesse ser identificada como delegada na campanha.

Cultura fecha com Paes

Depois de atrair o eleitor do Carnaval para o seu lado, já no primeiro turno, Eduardo Paes (DEM) tem o apoio majoritário dos artistas que atuam na Cultura. Marcelo Crivella (Republicanos), por sua vez, defende que investiu na Cidade das Artes e tem o apoio do segmento gospel.

Debate reúne ex-presidentes da Fundação Palmares

Estarão presentes hoje, no Youtube, às 18h, Carlos Moura, que foi o primeiro a ocupar o cargo, entre 1988 e 1990 e depois entre 2000 e 2003; Dulce Pereira, presidente entre 1996 e 2000; Zulu Araújo (2007 a 2010) e Elói Ferreira (2011 a 2012). O objetivo é abordar o Dia Nacional da Consciência Negra sob o ponto de vista daqueles que construíram a Fundação e suas avaliações sobre a atual gestão.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários