Pacientes foram transferidos para outras unidades de saúde, inclusive hospital de campanha
Reginaldo Pimenta / Agência O Dia
Pacientes foram transferidos para outras unidades de saúde, inclusive hospital de campanha

A precária situação da Saúde no estado do Rio de Janeiro fez com que o tema fosse o mais debatido nas lives promovidas pelo jornal O Dia. Perdemos a conta de quantos diagnósticos já publicamos em nossas plataformas. Sempre no aguardo de que a solução viria breve.

Ainda assim, mais uma vez nos deparamos com a tragédia desta terça-feira (27), o incêndio no Hospital Federal de Bonsucesso. Nós tivemos acesso ao Relatório Técnico na Subestação de Energia Elétrica que foi enviado ao Ministério da Saúde, em 2019. Feito o diagnóstico, mas a solução não foi providenciada. Resultado: negligência.

Na ocasião, ficou demonstrado que as estruturas física e técnica existentes nos serviços de entrada, distribuição e geração de energia de emergência no Hospital carecia de imediata providência.

Neste documento, se propunha as necessidades emergenciais de ações para reforma, atualização e estabelecimento de condições de segurança nas mencionadas instalações. As fotos do relatório demonstramque a má conservação atingia a área física e equipamentos ao longo dos últimos 10 anos. E por que não resolveram? Porque as várias administrações se demonstraram fracas diante de Brasília.

A BUSCA POR SOLUÇÃO

O médico Josier Vilar, que representa vários segmentos do setor e capitaneia o respeitado Fórum Inovação Saúde, está indignado: "uma tragédia, uma vergonha e um fracasso da gestão pública". Para ele, "tem de existir um plano de contingência para o setor hospitalar público e privado sob comando da União. A solução passa por parcerias público-privadas com contratos de gestão patrimonial e gestão da operação assistencial separadas. É o modelo português que deu certo".

Marielle volta ao debate

Livro
Divulgação
Livro "Restaurando a Ordem", de Rodrigo Amorim

Enquanto os jornalistas Chico Otávio e Vera Araújo anunciam o lançamento, para o dia 17 de novembro, do livro "Mataram Marielle", por mera coincidência o deputado Rodrigo Amorim - que se notabilizou por quebrar a placa de Marielle - lança um livro chamado "Restaurando a ordem". O título do livro, na capa, é estampado em uma... placa de rua. E dedica o último capítulo a falar da quebra da placa da Marielle.

Você viu?

Justiça corre atrás de arrecadação

A 8ª Câmara Civel do TJRJ reformou uma decisão liminar que suspendia o pagamento de ICMS pela Cervejaria Petrópolis, desde julho até outubro de 2020, em razão da pandemia da Covid-19 . A decisão atendeu ao pedido da Procuradoria-Geral do Estado. Essa não foi a primeira vez que uma empresa de grande porte tentou manipular a tributação, por conta da pandemia. Em abril, a Justiça do Rio acolheu a manifestação da PGE-RJ e rejeitou pedido da CRH Sudeste Indústria de Cimento S.A.

Empresas de engenharia exigem ética

A Associação das Empresas de Engenharia do Rio de Janeiro (AEERJ) vai apresentar aos candidatos às prefeituras dos municípios do Estado a visão do setor sobre pontos para trazer maior segurança na execução de obras públicas: transparência e respeito aos contratos, diz o documento.

Renata Souza quer debate

A candidata do PSOL à Prefeitura do Rio , Renata Souza, não se conforma de não ocorrerem debates nesta eleição. "Debater é oferecer à população a oportunidade de conhecer melhor cada um, suas propostas e o que já fez. Com quem andou e mostrar a quais interesses atende. Com certeza, tem candidato que precisa explicar desde fortunas em contratos de obras ao sumiço de vigas. Outros precisam responder sobre o caos na saúde e a submissão à máfia dos transportes. Outros têm que esclarecer como pretendem se relacionar com o bolsonarismo e a política de ódio e genocídio do povo negro e do povo pobre. Todos precisam apresentar propostas na cultura, na educação, na saúde etc", diz ela.

Twittadas do Nuno

Não é necessário censo para perceber o aumento do número de moradores em situação de rua no Rio. Quem anda pela cidade já reparou a triste realidade. Se antes da pandemia já não havia locais de amparo decentes para atender a essa população, o cenário atual é ainda mais grave.

Faltam poucos dias para as eleições e eu sempre vou insistir na importância do voto, única ferramenta que temos para mudar a nossa cidade. Por mais que tentem coagir ou intimidar você, o voto é secreto. Estude as propostas, escolha seu candidato e vote consciente.

O Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro se tornou a primeira Corte brasileira a implantar o Juízo 100% Digital para alguns assuntos. Iniciativa do Ministro Luiz Fux, a ideia é agilizar a tramitação dos processos. Merece reconhecimento e a torcida para que o projeto dê certo e seja ampliado.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários