Mozart Vianna
Câmara dos Deputados
Mozart Vianna

A morte de Mozart Vianna ontem deixou Brasília órfã daquele que se tornou – para a imprensa, para a sociedade e para numerosas gerações de parlamentares – um exemplo de servidor público. Mozart foi o anjo da guarda de 12 presidentes da Câmara dos Deputados, como secretário-geral da Mesa Diretora, entre outras funções que exerceu até se aposentar há poucos anos.

Deve-se a ele a idealização de um manual do regimento para repórteres entenderem (e relatarem) o cotidiano do Congresso. Foram pelas suas mãos, orientações, dicas e serviços que centenas de leis importantes avançaram na Mesa da Casa, ao guiar com discrição e humildade tantos presidentes. Por todos estes anos o Brasil teve uma eminência parda no Legislativo e não sabia.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários