Deputado federal Eduardo, vereador Carlos e senador Flávio Bolsonaro
Reprodução
Deputado federal Eduardo, vereador Carlos e senador Flávio Bolsonaro

A família Bolsonaro utiliza uma tática eficiente de coalizão política há duas décadas, e isso pavimentou o caminho do clã ao Poder nacional desde o Rio de Janeiro até Brasília. 

O patriarca e os três filhos mandatários se distribuem em filiações por diferentes partidos. Com significativo saldo eleitoral de cada um deles, isso consolida o grupo na negociação eleitoral a cada pleito. 

Não será diferente em 2022, quando o presidente Jair Bolsonaro (ainda sem partido), tentará a reeleição. A filiação do filho e senador Flávio ao Patriota, anunciada ontem, é apenas parte de um plano maior. 

O deputado federal Eduardo está no PSL paulista, e o vereador Carlos no Republicanos do Rio de Janeiro. O presidente da República negocia com o PRTB, PP e Aliança – ex-partido da Mulher Brasileira.

Se Bolsonaro fechar com um dos três partidos com os quais conversa, a família entra em 2022 controlando quatro legendas para o front das articulações nacionais.

O PTB dará o vice ao presidente na chapa, já citamos. Bolsonaro quer um general filiado. A conferir.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários