Presidente Xi Jinping
Agência Brasil
Presidente Xi Jinping

Deputados e senadores recorrem até ao presidente Xi Jinping com pedido de ajuda para a liberação das exportações dos insumos para fabricação das vacinas Coronavac e Oxford/Astrazeneca no Brasil. Em virtude da interrupção no fornecimento pela empresa Sinovac ao Instituto Butantan e à Fundação Oswaldo Cruz, o estoque de vacinas está comprometido para os próximos dias.

O Brasil fica numa situação constrangedora frente à China após episódios que estremeceram a relação entre os dois países. Em um deles, no ano passado, o deputado Eduardo Bolsonaro sugeriu que a China seria a culpada pela pandemia do coronavírus.

Em carta na qual pede “intervenção” do presidente chinês, o presidente da Frente Parlamentar Brasil-China, deputado Fausto Pinato (PP-SP), reforça que a liberação dos insumos é imprescindível para que o Brasil não desacelere o programa de vacinação. Para o deputado, falta habilidade ao chanceler Ernesto Araújo nas relações com a China.

Presidente do Grupo Parlamentar Brasil-China, o senador Roberto Rocha (PSDB-MA) também enviou oficio ao embaixador da China, Yang Wanming, no qual pede “compreensão humanística”.


O governo brasileiro ainda não procurou a embaixada chinesa e não houve nenhum tipo de diálogo para tratar do assunto, conforme informou o embaixador Yang Wanming ao presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ). O atraso na liberação de insumos chineses, segundo Wanming, se deve a razões técnicas e não políticas.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários