Kassio Nunes
Agência Brasil
Desembargador Kassio Nunes

O senador Alessandro Vieira apresentará voto em separado ao do relator, senador Eduardo Braga, pela rejeição do desembargador Kassio Nunes para a vaga de Celso de Mello no Supremo Tribunal Federal. 

No texto ao qual a Coluna teve acesso, o senador Vieira indica que, a seu ver, o juiz não está à altura do cargo, cita as incorreções no currículo e enumera uma série de circunstâncias que podem levar a questionamentos. 

Além de incluir as 25 representações contra o desembargador no Conselho Nacional de Justiça, o senador levanta suspeição sobre suposto ‘conflito de interesses’ pelo fato de a irmã de Kassio Nunes ter atuado junto ao Grupo Petrópolis, de Walter Faria, preso na operação Lava Jato. Complementa ainda que Nunes tem ligações com o ex-governador do PT Wellington Dias, um de seus padrinhos na nomeação para o TRF1.

“Registre-se, contudo, que a presente indicação é a mais perfeita materialização do sistema de cruzamento de interesses que impera no Brasil há décadas”, emenda Vieira.

No voto em separado, o senador lembra que Nunes teve contratos, alvos do TCU, com a Companhia Energética do Piauí, no escritório em que era sócio ainda como advogado.

A sabatina do desembargador está confirmada para amanhã. A aposta é que Nunes será aprovado com ampla maioria. Ele recebeu media training nas últimas semanas.

    Veja Também

      Mostrar mais